A História de Michelli Anatólio

Veja esta matéria em English, Español

American Dream Series

A História de Michelli Anatólio

By Mariana Silva

Nesta edição do Tribuna, você vai conhecer a história da brasileira Michelli Anatólio. Nascida no interior de São Paulo, na cidadezinha de Bálsamo, viu a sua vida mudar por inteiro quando se mudou há 10 anos com os pais e a irmã mais nova para os Estados Unidos. Na época, aos 17 anos, achava que estava dentro de um sonho, pois era esse o sentimento quando chegou ao país. Era tudo muito familiar devido as referências dos filmes que assistia quando criança: as casas de madeira,  a arquitetura tão diferente do país de origem, a cultura e as estações do ano tão bem definidas.

Tudo começou em 2006 quando os pais de Michelli vieram para conhecer o país e tentar a sorte. Antes de completar seis meses de estadia, decidiram retornar ao Brasil, pois a saudade das filhas era muito grande.  O plano era vir toda a família e ficar por no máximo dois anos – o pai de Michelli era servidor público no Brasil, então, poderia ficar afastado do cargo e retornar após 24 meses. Porém, o tempo foi passando e eles decidiram continuar, pois  haviam se habituado com a vida tranquila que levavam na pacata cidade de Bethel, CT.

E os primeiros anos não foram fáceis para ela e sua família. “Era tudo novo, não conhecíamos os lugares, os procedimentos a serem adotados, não falávamos inglês. Meu pai era servidor público no Brasil, tinha uma profissão, e quando chegou aqui era apenas mais um imigrante, e isso, foi bem difícil assimilar. Período de inverno era bem complicado para arrumar emprego, meu pai ficava meses sem conseguir trabalho; nós trabalhávamos pesado e sempre com a fé de que tudo daria certo”, ressalta Michelli.

E aos poucos ela e a mãe conseguiram montar uma companhia de limpeza de casas e começaram a trabalhar por conta própria.  Enquanto trabalhava de dia, conciliava os estudos de inglês à noite. Ela sabia que seria necessário aprender o idioma para alcançar voos ainda maiores.

Vida universitária 

Em 2011, Michelli se casou, mudou para New Milford e continuou trabalhando com limpeza de casas. Ela conta que o marido foi o principal influenciador para que ela fizesse uma graduação. Ela fez a prova TOEFL para ingressar na Western Connecticut State University (WCSU), mas não alcançou a média que precisava, porém não desistiu e cursou a Naugatuck Valley Community College que lhe deu todo o preparo para conseguir ingressar na WCSU.

“As vezes não entendemos os planos de Deus, estudar na Naugatuck me preparou para enfrentar a Universidade e foi a melhor escolha que fiz”, explica Anatólio.

Há quatro semestres para concluir o curso de Serviço Social, entre muitas lições aprendidas, está a de que é preciso trabalhar em prol de uma sociedade justa, democrática e igualitária. “Eu fico muito feliz de servir a comunidade imigrante em geral. Eu quero poder ser um suporte para toda a comunidade, pois quando cheguei, eu precisei de ajuda e suporte. E agora, por tudo que passei, vejo que é uma forma de retribuir o que eu recebi de bom quando cheguei aqui. Cada um oferece aquilo que tem, e eu quero oferecer aquilo que eu tenho de melhor. Não há nada mais gratificante que poder ajudar o próximo. Eu entendo as dificuldades de muitos imigrantes, pois já senti na pele”.

E para Anatólio, poder ajudar as pessoas através do serviço social é gratificante. “O que eu aprendi nesses anos de faculdade é que ser assistente social não é uma profissão, e sim, um chamado. Ali você acaba lidando todos os dias com pessoas que têm necessidades, e isso pode ser algo exaustivo, se o profissional não souber lidar com a situação dos menos favorecidos; é possível entrar em uma depressão, por isso não é um trabalho para qualquer pessoa”, relata.

Ao ser questionada sobre o sonho americano, Michelli responde sem titubear: “Vim de uma cidadezinha do interior, estou a ponto de me graduar em uma universidade americana, trabalho na área social que eu tanto amo, tenho um marido maravilhoso que apoia e incentiva todos os meus sonhos; eu só tenho a agradecer à Deus pois meu sonho americano está acontecendo”.

Para ela, os Estados Unidos pode ser definido em uma palavra – oportunidade  – e que através de luta, ânimo e perseverança é possível conquistar todos os sonhos.

“As coisas acontecem a partir do momento que você luta com todas as forças para que se tornem realidade. Se você tem um sonho ou algo que almeja muito, quando você tem perseverança e acredita no plano que Deus tem para você, quando há luta e fé,  é possível chegar a qualquer lugar”.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
April 21, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *