Estudantes da WCSU Recebem o Prêmio Henry Barnard

Veja esta matéria em English, Español

American Dream Series

Estudantes da WCSU Recebem o Prêmio Henry Barnard

By Equipe da WCSU

As veteranas da Universidade Estadual Western Connecticut, Evelin Garcia e Madiha Khan, foram escolhidas como vencedoras do Prêmio Estudante Notável Henry Barnard deste ano por suas determinação, liderança, sucesso acadêmico e contribuições a comunidade. Doze Prêmios Barnard são concedidos anualmente a notáveis estudantes das universidades estaduais ocidentais, centrais, orientais e do sul de Connecticut.

Khan e Garcia, que são talentosas de formas individuais, também compartilham várias semelhanças. Ambas são residentes de Danbury. Como filhas de pais imigrantes, elas experimentaram um sentimento de impotência, que transformaram em oportunidades para criar mudanças. Embora venham de criações muito diferentes, escolheram os caminhos que esperam que as conduzam à escola de medicina.

Garcia criou sua própria especialidade, uma combinação de Biologia e Estudos de Saúde Comunitária, e Khan é especialista em Química com foco em Bioquímica. Sua dedicação e trabalhos são demonstrados pelos seus envolvimentos em vários programas diferentes, incluindo o Programa de Liderança Estudantil da Hancock, o Programa de Honras da WCSU, o Corpo Colegiado de Serviços de Saúde e o Projeto Conexão Sem-Teto da WCSU. Khan e Garcia conseguiram entrar na Dean’s List todos os semestres de suas carreiras universitárias e foram ativas em suas comunidades.

Garcia queria promover a disponibilidade de cuidados a saúde em sua comunidade desde a infância. Para a família de Garcia “os custos com cuidados de saúde superaram as preocupações de nossos sofrimentos e dores. Ir ao médico não era uma norma, mas um luxo que nunca experimentamos”. Depois de experimentar a “negação constante a um direito humano básico”, Garcia apaixonou-se por fornecer educação e defender as famílias locais, imigrantes e de baixa renda sem plano de saúde. Ela decidiu que a melhor maneira de trazer mudanças era através de uma carreira médica.

Quando começou a trabalhar para alcançar seus objetivos no ensino médio, ela disse que encontrou resistência e lhe diziam que ela “sonhava muito alto” e que “a faculdade não é para pessoas como você”. Destemida, ela se candidatou e foi aceita na WCSU. Para pagar a taxa de matrícula, Garcia inicialmente trabalhou em três empregos enquanto assistia as aulas e continuava buscando oportunidades para crescer.

Ela assumiu papéis de liderança em várias organizações no campus e foi aceita no Programa de Verão de Educação Médica e Odontológica da Escola de Medicina de Yale, onde trabalhou em rodízios clínicos, cursou aulas de ciências avançadas e atuou como intérprete de espanhol na Clínica Gratuita HAVEN. Garcia também participou de outros estágios, incluindo o da Faculdade de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, onde realizou pesquisa de ensaios clínicos de câncer e o Seifert e Ford Community Health Center, onde ela era observadora de medicina interna.

Reconhecendo que as mudanças que ela deseja propagar exigirão mais do que um diploma de medicina, Garcia entende que “precisa aprender sobre as leis, questões societárias e o desenvolvimento de políticas progressivas”. Para isso, ela planeja completar uma bolsa de estudos na área de política ou saúde pública antes de frequentar a faculdade de medicina.

Khan, que recentemente apresentou seu projeto de pesquisa sênior no Encontro Nacional da Sociedade Americana de Química na Califórnia, acreditava, antes de participar da WCSU, que ela era “impotente e não poderia causar nenhum impacto em sua comunidade”. Ela é a mais nova de quatro filhos e relembrou a luta que seus pais passaram quando chegou a hora de ela frequentar a faculdade. “Quando chegou a minha vez de ir à faculdade, meus pais estavam com muitas dívidas. Eu ainda lembro de ver a minha mãe encostada no sofá, chorando com o meu pai, sem saber que eu estava ouvindo tudo”, disse ela.

Khan começou a se sentir empoderada quando recebeu a Bolsa de Mérito Presidencial, que abrange a matrícula e taxas e é renovável a cada semestre. “Foi a primeira vez que senti que tinha o poder e a capacidade de fazer a diferença”, disse ela. “Eu estava decidida a ser a melhor aluna para deixar meus pais, minha comunidade e minha universidade orgulhosos. Fiz isso entrando na Dean’s List em toda a minha carreira universitária”. Ela também recebeu o Prêmio de Destaque Excepcional em Química Orgânica da Escola de Artes e Ciências de Macricostas.

Além disso, Khan tornou-se membro do Programa de Honra da WCSU, serviu como mentora e professora de matemática no Danbury Masjid e voluntariou-se para vários programas comunitários, incluindo o CT Mission of Mercy e o Projeto Conexão Sem-Teto da WCSU. Ela serviu como chefe do programa de bolsas de estudo da aliança Alpha Delta Pi e chefe de angariação de fundos para o Clube de Química e atualmente atua como tesoureira do Corpo Colegiado de Serviços de Saúde. Ela também foi selecionada como oradora para o início das atividades da universidade de 2017 no final deste mês.

Compreendendo os desafios que os novos estudantes universitários enfrentam, Khan dedicou muito do seu tempo a orientar os alunos a fazerem a transição do ensino médio para a faculdade através do Programa Western Connection. Ela conseguiu ajudar os alunos a se adaptarem às mudanças sociais e acadêmicas que experimentam, fornecendo apoio e orientação.

Garcia e Khan receberam seus prêmios em um banquete realizado em 4 de abril em Southington.

Para mais informações, entre em contato com o Escritório de Relações Universitárias em (203) 837-8486.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
May 26, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *