A ‘Professora do Ano’ de 2017-18 de Danbury Ama Ciência

Artigos, Crianças E Família, Educação

A ‘Professora do Ano’ de 2017-18 de Danbury Ama Ciência

By

Filha de professora e farmacêutica, Beth Manning, começou como representante farmacêutica. Mas não demorou muito para que sentisse o chamado de se tornar professora, uma posição que se adequava ao seu amor pela ciência e ao desejo de compartilhar essa paixão com os outros. A educadora de Danbury é conhecida no distrito por sua dedicação em moldar a vida de seus alunos, bem como a de seus colegas.

Agora professora de ciências da Westside Middle School Academy, Manning foi escolhida como Professora do Ano do distrito em 2017-18.

Ironicamente, foi o cargo de representante farmacêutica que promoveu seu desejo de ensinar, já que era encarregada de treinar colegas de trabalho sobre as mudanças tecnológicas: “Logo percebi que essa era minha parte favorita do trabalho”, disse Manning. “E como minha mãe era professora, sempre pensei que poderia querer ser também”.

Manning obteve diploma de bacharel em biologia pela Saint Michael’s College e mestrado em educação e tecnologia de ensino pela Western Connecticut State University. Instrutora de 2001, Manning iniciou sua carreira educacional na Danbury High School como professora estudante. Sua primeira posição como professora foi na Rogers Park Middle School.

Depois de lecionar no programa STEM no Rogers Park, Manning mudou para Westside depois de sua abertura há vários anos. Ela gosta que o distrito abraçou a criatividade no currículo obrigatório e disse que todos os professores de ciências trabalham para decidir como os alunos aprendem melhor com os novos padrões estaduais aprovados no ano passado (NGSS). Manning disse que cumpre isso, ajudando os alunos — em vez de lhes dizer — a encontrar as respostas através de perguntas baseadas na ciência.

“É uma grande mudança. É totalmente centrado no aluno”, disse Manning. “As crianças descobrem a ciência ao invés de serem informadas de fatos. Por exemplo, eu posso perguntar ‘Por que está tão nublado esta manhã?’ Os alunos podem fazer diagramas e aplicar atividades de aprendizado que apoiem o conceito principal. As crianças fazem o trabalho pesado, e os professores facilitam isso. Nunca digo a elas a resposta. Eu as deixo descobrir. Eu acho que isso é um presente.”

Como prova adicional de seu amor pelo ensino, Manning acrescenta à sua agitada agenda o treinamento de outros professores no estado através do Connecticut Science Center usando a nova plataforma curricular. Ela também treina educadores distritais.

Manning admite que seu maior desafio é tentar encaixar tudo, mas diz que o distrito é muito solidário — e a emoção dos alunos em aprender ciência faz com que isso valha a pena.

“Eu gosto da diversidade de crianças que tenho em Danbury”, disse Manning. “Elas adicionam uma nova camada a minha sala de aula”.

Manning disse que sua esperança para o futuro da educação é que os alunos continuem aprendendo fazendo e aplicando seus conhecimentos para explorar os conceitos em profundidade.

“Minha esperança é que as crianças aprendam a pensar, ao invés de passarem em uma prova”, disse ela.

Este é o segundo prêmio recente de Manning. Ano passado, ela foi escolhida pela Connecticut Science Teachers Association de Connecticut para receber o Prêmio de Excelência em Ensino de Ciências do Ensino Médio.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
August 28, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *