Como Resolver Conflitos em 6 Passos Fáceis

View this post in other languages: English, Español

Bem-estar

Como Resolver Conflitos em 6 Passos Fáceis

By Eric Faria

Estes são os passos que podem causar avanços em sua vida e relacionamentos:

 

Fonte – De onde vem o conflito? Qual é o antecedente da situação?

Uma ilustração simples: você lavou os pratos semana passada, sozinho(a), enquanto seu/sua parceiro(a) não participou – nem sequer uma vez. Você está começando a se sentir explorado(a), e não quer mais lavar a louça se não for dividido entre vocês dois igualmente daqui para a frente.

Hora e lugar – Quando é a melhor hora para conversar sobre esse assunto? Onde é um lugar neutro que você e a outra pessoa possam se sentar para conversar?

Cuidado: conversar depois do trabalho, antes de dormir ou nas férias (especialmente se o conflito envolver um parceiro, um membro da família ou um parente) não são bons momentos. Tenha em mente que os espaços públicos também podem ser problemáticos, especialmente se estiverem muito cheios.

Tempo e lugar são extremamente importantes para resolver um conflito. Leve-os em consideração cuidadosamente, caso contrário, você se sentirá frustrado(a) e o conflito ainda estará presente.

Abordagem amigável – Comece a conversa dizendo algo positivo sobre a outra pessoa. Mantenha a conversa clara e verdadeira. Isso significa que, em vez de dizer “você é uma boa pessoa”, seja o mais específico possível. Por exemplo: “Eu realmente gostei que você ligou para a minha mãe para desejar feliz aniversário semana passada”. Todo mundo gosta de se sentir visto, ouvido e valorizado. Você quer a atenção positiva da outra pessoa, e não que ela esteja na defensiva.

Comportamento – Aqui você identifica o comportamento que está causando o conflito.

O que os seres humanos tendem a fazer em situações de conflito é juntar todas as ações passadas que a outra pessoa fez que o(a) aborreceu ou causaram estresse em um único momento. Esta não é a hora para isso! Você identificará e indicará a única atitude que causou o conflito sobre o qual você está ali. Não mencione algo que aconteceu há vários meses nem ano passado, e definitivamente algo que aconteceu uma década atrás. Essas conversas são completamente diferentes.

Emoção – É aqui que você explica à outra pessoa como o comportamento dela fez você se sentir. Na maioria das vezes não paramos para avaliar completamente como a pessoa com quem estamos em conflito nos impactou. Falando do “eu”, este é o momento para expressar exatamente qual foi o efeito daquilo em você, como “eu me senti frustrado(a)”, “me senti desvalorizado(a)”, “me senti ferido(a). A outra pessoa provavelmente ficará surpresa, porque geralmente não paramos para examinar o impacto que nossas ações ou palavras exercem sobre outro ser humano.

Expressando suas necessidades – Neste passo final, você expressará o que precisa da outra pessoa daqui em diante. Por exemplo: “Preciso que as tarefas da lavanderia sejam divididas igualmente entre nós” ou “Preciso que você leve o cachorro para passear uma vez por dia”.

Seja o que for, aqui está sua chance de chegar a uma resolução.

Lembre-se de que conflitos são oportunidades. Eles são uma fonte de energia que pode ser usada para inovação, criatividade e transformação. Eles também levam à curiosidade – esteja disposto(a) e ouça a opinião e o ponto de vista da outra pessoa.

Eric Faria é especialista em comunicação e sinergia, podcaster, palestrante e colunista. Ele produz e apresenta o programa de TV I AM with Eric Faria, disponível no YouTube. O programa também é um podcast no Apple Podcasts e no SoundCloud. Para agendar sua consulta inicial com ele, envie um e-mail para eric@ericfaria.com.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
October 10, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *