Uma Ótima Comunicação É a Chave para a Conexão Humana

View this post in other languages: English, Español

Bem-estar

Uma Ótima Comunicação É a Chave para a Conexão Humana

By Eric Faria

Como seres humanos, temos emoções conflitantes. Eu estava ouvindo uma história sobre como o poder das redes sociais foi capaz de fazer com que o governo declarasse estado de emergência no Sri Lanka. Essa situação envolveu a minoria de muçulmanos que moram no país, e a maioria dos budistas que acreditavam em notícias falsas que liam no Facebook. As histórias que estavam sendo espalhadas diziam que a comida estava sendo propositalmente envenenada pelos muçulmanos para matar os budistas que os oprimiam. Antes de chegar a uma conclusão, pense em como é fácil ser manipulado pelo que vemos, ouvimos e lemos on-line e off-line.

A comunicação é a chave para qualquer bom relacionamento. Pense nisso: como seres humanos, nos comunicamos o tempo todo por meio de palavras faladas e escritas, mas principalmente através de pistas não verbais. Na verdade, a divisão seria assim: 55% de linguagem corporal, 38% de tom de voz e apenas 7% das palavras que realmente falamos.

Desde as eleições presidenciais de 2016, tenho prestado atenção em como nos tornamos polarizados e tribalistas. Muitas vezes deixamos de ouvir antes de interromper e dizer o que queremos. Sendo apresentador de televisão e entrevistando pessoas, eu entendo mais do que nunca a importância de ouvir o que alguém tem a dizer. Frequentemente faço uma pergunta e permito que meu convidado elabore suas respostas e, embora às vezes eu queira interrompê-lo, me contenho e espero que o pensamento deles esteja completo. Essa experiência me ensinou a estar muito presente e permitir que o fluxo da conversa dite para onde ela vai.

Há uma diferença entre pensar que você sabe alguma coisa e realmente saber o que o faz cair na armadilha do “meu ponto de vista é o único válido” ou a mentalidade de “eu versus eles” quase como uma opção padrão. É muito importante entender a importância de reconhecer que, só porque você acha que sabe do que está falando, não é assim que acontece. Quando alguém reconhece que seu ponto de vista é falho, pode-se pedir desculpas e continuar a conversa; no entanto, tenho testemunhado pessoas se sentindo muito indignadas como se dissessem: “como ousa me desafiar?”, não suas ideias ou pensamentos limitados, mas a pessoa por trás deles. Cria um complexo de perseguição que é difícil superar.

Então você pode estar se perguntando: “Eric, como eu supero essa bolha de desinformação e realmente me faço ser visto e ouvido por essa outra pessoa?”

Bem, nos meus 30 anos de vida, a prática que melhor funcionou para mim foi me colocar no lugar de outras pessoas em vez de assumir o que deve estar passando em suas cabeças. Isso me deu mais discernimento sobre quem são as pessoas, ao invés de ficar indignado com elas por não pensarem ou agirem da maneira que eu gostaria. Portanto, meu encorajamento é parar e ouvir as pessoas, fazer perguntas abertas, estar disposto a estar errado, ter empatia, estar completamente aberto a novas possibilidades e, por último, mas não menos importante: aprender a conviver com o desconhecido correndo riscos fora da sua zona de conforto. Lembre-se: a grande comunicação é a chave para a conexão humana.

Como você gostaria de ser visto, ouvido e valorizado?

Eric Faria é especialista em comunicação e sinergia, podcaster, palestrante e colunista. Ele produz e apresenta o programa de TV I AM with Eric Faria, disponível no YouTube. O show também é um podcast no Apple Podcasts e no SoundCloud. Para contatá-lo, envie um e-mail para eric@ericfaria.com.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
June 6, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *