Bibliotecas Públicas Oferecem um Mundo de Conhecimento Gratuitamente

View this post in other languages: English, Español

Colunas, Little Brazil

Bibliotecas Públicas Oferecem um Mundo de Conhecimento Gratuitamente

By Karla Rensch

Observa-se que na atualidade, uma das maiores preocupações globais desconhece as fronteiras de raça, credo ou cultura – a Educação. Ela gera nos pais aquela dúvida constante que os leva a olhar com cautela o planejamento do futuro de suas crianças. Afinal eles são o alicerce da humanidade nos dias vindouros.

É fato conhecido mundialmente que os Estados Unidos encontra-se muito a frente do Brasil e de vários outros países no quesito educação. Aqui há diversas propostas de entretenimento educacional para as crianças, dentro e fora das escolas, sejam estas americanas ou imigrantes, visto que toda criança em território americano tem direito constitucional a educação, e esse é sem dúvida um dos muitos fatores que contribuem para que o índice migratório do país esteja sempre em estado de crescimento progressivo.

Imigrar é abraçar uma nova cultura, aprender a interagir com os costumes locais e por vezes tão diferentes dos nossos. Imigrar é abrir a mente ao novo e ao desconhecido. Quando se migra com filhos, o que era complicado torna-se muito mais amedrontador e preocupante, pois lá estão as escolhas que precisam ser feitas assertivamente em prol do bem estar da criança que se leva consigo para um outro extremo do mundo. É comum ouvir relatos de expatriados que afirmam que ser imigrante é para os fortes. Eu concordo com eles.

Pais e professores de várias partes do mundo, em conhecidos fóruns virtuais de educação bilíngue e comportamento infantil, afirmam que o acesso precoce, ilimitado e fácil a tecnologia é um dos maiores problemas educacionais do momento. As crianças do mundo moderno estão perdendo o foco e o interesse nas atividades cotidianas, e veem desaprendendo a interagir entre elas.

O que fazer quando a sociedade em que vivemos segue em direção a um mesmo contexto que prioriza a individualidade e não incentiva a troca e as relações olho no olho, outrora tão normais e sadias? É certo que os tempos mudaram e que a evolução segue o seu fluxo, mas até onde é saudável essa individualização e escassez de relações interpessoais entre as crianças?

Uma solução simples, ao alcance de todos e amplamente adotada pelos americanos, é comparecer periodicamente as atividades públicas da biblioteca local. Isso mesmo, toda cidade tem a sua própria biblioteca e todas elas oferecem diversos tipos de atividades (onde imigrantes são muito bem vindos), programações gratuitas e interessantes que além de integrar a criança a cultura local, dará a ela a oportunidade de interagir com outras crianças, abrir o leque de conhecimentos e abraçar o universo maravilhoso e riquíssimo da literatura.

Quem visita bibliotecas estaduais somente tem a ganhar. Vale a pena insistir e tornar esse tipo de passeio uma atividade rotineira para toda a família. Memórias lindas e preciosas podem ser construídas com esse tipo de atividade. Todo mundo saí ganhando.

Alguns endereços de bibliotecas públicas em Connecticut:

Danbury:

170 Main Street – (203) 797-4505

Brookfield:

182 Whisconier Road – (203) 775-6241

Bethel: 189 Greenwood Avenue, (203) 794-8756

Newtown: 25 Main Street – (203) 426-4533

Ridgefield: 472 Main Street – (203) 438-2282

Bridgeport: 925 Broad Street – (203) 576-7400

Hartford: 500 Main Street – (860) 695-6300

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
April 18, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *