Alunos da Westside Middle School Recebem os Prêmios mais Altos na Feira de Ciências e Engenharia de CT

View this post in other languages: English, Español

Comunidade Em Foco

Alunos da Westside Middle School Recebem os Prêmios mais Altos na Feira de Ciências e Engenharia de CT

By Tribuna Staff

Oito alunos do programa STEM da Westside Middle School Academy receberam prêmios da Feira de Ciências e Engenharia de CT, realizada em 11 de março na Universidade Quinnipiac, em Hamden.

Nos últimos três anos, a WSMSA, liderada pelo professor de ciências Jon Neuhausel, tem sido uma das três melhores do ensino médio no estado em termos de conquistas. Os alunos da WSMSA ficaram entre os 647 estudantes de 120 escolas de ensino fundamental e médio de Connecticut, Fishers Island e Nova Iorque competindo na 70ª feira anual por mais de US$ 200.000 em prêmios.

Os seguintes alunos da oitava série da Westside e seus projetos:

Timothy Chen: “Efeito do espaçamento em espiral na eficiência de conversão da turbina eólica em espiral com eixo horizontal”.

Paloma Lenz: “Poluição de águas pluviais: a eficácia dos zeólitos na diminuição dos níveis de nitratos no escoamento”.

Mathew Mathew: “Impacto dos conservantes naturais e químicos para estender a vida útil da cidra de maçã”.

Khushi Parikh: “Reconhecimento de imagem para diagnosticar a doença de Lyme”.

Stephanie Queiroz: “Como o bacteriófago Phi x 174 com a E. coli tem efeito diferente do bacteriófago MS2?”

Vincent Trombetto: “Um estudo sobre o xilema na angiosperma baseado nos sistemas de filtração de sacarose”.

Alex Morquecho: “Como os incêndios florestais podem ajudar o solo a recuperar sua nutrição e permitir que as plantas cresçam mais”.

Stella Walker: “O efeito da pressão barométrica na velocidade do Wi-Fi”.

Vincent disse, através de seu projeto, que ele aprendeu que árvores podem ser usadas um dia para filtrar contaminantes da água; ele está ansioso para aprender mais sobre um processo natural. O projeto de seu colega de classe Mathew também incluiu soluções naturais para os problemas: “Eu quero difundir a consciência sobre os perigos do uso de conservantes químicos – os naturais são tão bons quanto eles.”

Stephanie usou métodos diferentes para determinar se um bacteriófago específico era mais eficaz que outro. Como seu trabalho de laboratório envolvia trabalhar com substâncias potencialmente mais perigosas, ela trabalhou em um laboratório supervisionado na escola com precauções de segurança e descarte.

“A parte mais difícil foi contar a placa porque havia tantos, e foi difícil tirar uma foto”, disse Stephanie.

Alex simulou incêndios florestais em potes colocados no lado de fora da varanda da casa dele. Ele queria investigar como as árvores secas estão usando a robótica para evitar incêndios florestais, mas não teve recursos disponíveis suficientes. Ao iniciar incêndios com tempos de queima de 80, 100, 120 e 140 minutos, Alex descobriu que os mais longos deixavam o solo mais nutritivo.

“O sucesso de nossos alunos na Feira de Ciências e Engenharia de CT demonstra como o aprendizado dedicado em um ambiente baseado em projetos pode levar a altos níveis de sucesso”, disse o diretor da WSMSA, Dr. Frank LaBanca. “Tendo trabalhado diretamente com os alunos nesses projetos, posso dizer com segurança que eles estão sendo bem preparados para as responsabilidades da faculdade, carreira e vida cívica. Eles são verdadeiros inovadores”.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
April 4, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *