Crianças, Cidadãs Americanas, Filhas de Pais Não-Documentados em CT

Veja esta matéria em English, Español

Crianças E Família, Imigração, Noticia

Crianças, Cidadãs Americanas, Filhas de Pais Não-Documentados em CT

By Jacqueline Rabe Thomas | CTMirror.com | Tradução: Fernanda Magrini Sinha

Dado o crescente foco da administração Trump em deportar mais imigrantes indocumentados, os legisladores estaduais querem saber quantas crianças podem acabar sofrendo com isso.

No dia 6 de março, o Departamento de Crianças e Famílias relatou ao Comitê de Apropriações que há 22.000 filhos de imigrantes indocumentados que têm menos de 18 anos, cidadãos americanos e que vivem em Connecticut.

“Sabemos que temos muitas, muitas crianças que estão aqui legalmente, mas cujas famílias não”, disse a comissária do DCF, Joette Katz, aos legisladores recentemente. “E se de fato suas famílias forem deportadas, haverá um enorme aumento no número de crianças que terão que ficar sob os cuidados e custódia do DCF”.

O governador Dannel P. Malloy e a comissária de educação do estado, Dianna Wentzell, no dia 21 de fevereiro, escreveram aos superintendentes escolares recomendando que eles fizessem planos caso os funcionários federais da imigração visitassem suas escolas e os advertiu a fornecerem aos alunos e pais informações sobre seus direitos legais.

Professores entrevistados pelo CT Mirror nas últimas semanas disseram que fizeram o seu melhor para assegurar aos alunos que eles terão seu apoio.

“Nós somos seu refúgio seguro”, disse Jessica Otero, professora de inglês da Escola de Ensino Fundamental e Médio Diloreto em New Britain. “Eles estão protegidos aqui”.

O DCF preocupa-se que as ações recentes do presidente Trump começarão a aumentar o número de crianças sob seus cuidados.

“Se seus pais forem deportados, algumas ou todas essas crianças podem entrar no sistema de cuidados da família. Estimamos que isso teria um impacto fiscal significativo no departamento e em outros serviços do Estado”, escreveu o DCF em materiais submetidos ao Comitê de Dotações.

A agência de assistência à infância do estado tem experimentado um afluxo de relatórios nos últimos anos por causa da epidemia de opiáceos e drogas no estado e porque os legisladores aumentaram o número daqueles que agora serão obrigados legalmente a apresentar relatórios de abuso ou negligência para a agência.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
April 5, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *