O Papel da Mídia na Divisão e Animosidade que Vemos na Política

View this post in other languages: English, Español

Editorial

O Papel da Mídia na Divisão e Animosidade que Vemos na Política

By Emanuela Palmares

Desde 1999, temos trabalhado para construir pontes e unir culturas, informando nossa comunidade independentemente da origem, mas com um foco principal em conectar os imigrantes às comunidades que eles escolheram chamar de lar.

Durante os anos eleitorais, refletimos sobre o papel da mídia na divisão e animosidade que vemos na política em nosso país hoje. Vivemos em uma época em que é quase impossível para os leitores discernirem entre o que é um editorial e o que é um artigo de notícias. Tudo está encharcado de opinião, recheado de fatos e polvilhado de preconceitos.

É nosso papel dizer à nossa comunidade a quem votar ou apenas votar? É nosso papel dizer quais candidatos são bons ou ruins, ou apenas informar ao público o que eles representam?

Estamos subestimando a profundidade e a amplitude de nossa comunidade e sua diversidade, ao longo de linhas políticas, raciais, de gênero, religiosas ou de classe?

Como podemos isolar o leitor de nossas próprias opiniões pessoais, quando em virtude de apenas puxar uma alavanca em uma cabine de votação, um repórter está tomando partido e não pode ser objetivo?

Como os leitores podem distinguir entre o que um jornal diz que eles devem fazer no dia da eleição de um relatório aparentemente justo sobre a própria corrida nas páginas de notícias? Essas linhas estão embaçadas nas mentes dos leitores e dos candidatos.

Como protegemos nossos direitos individuais como membros da equipe do Tribuna tendo nossas opiniões pessoais e estando envolvidos em muitas arenas de nossa comunidade sem aumentarmos esse nevoeiro?

Para mim, a resposta está no mais absoluto respeito pelos mais de 20 anos de confiança que nossos leitores nos deram, sabendo que os respeitamos como indivíduos, assim como nos respeitam como fonte confiável de informações e fatos, não apenas de opinião.

Portanto, o Tribuna não endossará nenhum candidato. Mas continuaremos a informá-los sobre todas as corridas eleitorais, em inglês, português e espanhol, incentivando o engajamento cívico e lançando luz sobre o exercício do direito de voto como a expressão mais poderosa da cidadania americana.

Nesta edição, forneceremos a nossos leitores uma comparação lado a lado de onde os dois principais candidatos a governador se posicionam sobre o que acreditamos ser a questão mais urgente deste ciclo eleitoral – a reforma do sistema tributário de Connecticut. As informações foram coletadas dos sites oficiais de ambos os candidatos, bem como declarações feitas em debates públicos. Os candidatos são exibidos em ordem alfabética e ambos têm declarações sob o limite de 475 palavras. A comparação pode ser encontrada na página XXXXXXXX.

Para mais informações sobre as eleições de 2018, acesse o site da Secretaria de Estado para saber se você está registrado para votar e onde seu local de votação está localizado em https://portal.ct.gov/SOTS.

Para obter uma lista completa de todos os candidatos acesse https://uselections.com/ct/ct.htm.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
October 24, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *