Observando Trump do Alto, Enquanto Estamos Naufragando em CT

Editorial

Observando Trump do Alto, Enquanto Estamos Naufragando em CT

By

O ano de 2017 será, sem dúvida, cheio de incertezas em nível nacional. Em cada tweet, o presidente eleito Donald Trump torna mais difícil imaginar como será sua presidência. Será que o seu “bro-mance” com Vladimir Putin florescerá completamente, milhões continuarão a ter acesso ao plano de saúde, ele continuará a trolar todos os seus inimigos on-line, deportará milhões… ou não fará nada disso? No dia 21 de janeiro, quando o manto mágico da presidência dos Estados Unidos lhe for concedido, ele sentirá o peso do trabalho; será que tudo isso foi um pesadelo?

Enquanto observamos Trump no alto, tentando descobrir se é um pássaro, um avião, um pesadelo ou realidade, uma coisa é certa em nível estadual. Pensamos nisso quando vemos o naufrágio de Connecticut derrubando seus municípios e a qualidade da educação para todas as crianças.

Os líderes municipais descobriram na última semana de 2016 quanto menos o estado enviará aos seus municípios para projetos de educação e construção no ano fiscal que termina em 1º de julho de 2017.

O estado está em uma crise orçamentária. Espera-se que os legisladores iniciem a nova sessão legislativa este mês, enfrentando um déficit de pelo menos $ 1,4 bilhão.

Os $ 50 milhões em cortes no meio do ano foram anunciados pelo gabinete de orçamento do governador, depois que o legislativo aprovou um orçamento com $ 20 milhões em cortes não atribuídos aos municípios e $ 30 milhões em cortes de fundos para projetos para a construção local.

Em um comunicado, a Conferência de Municípios de Connecticut, chamou os cortes de “insustentáveis”.

“Cidades e municípios já incluíram esses compromissos de ajuda em seus planos de gastos orçamentários para este ano fiscal… O novo corte de $ 30 milhões nos fundos LoCIP vai muito além dos cortes solicitados no orçamento do estado. Estes cortes ocorrem quando as cidades basearam-se em acordos com o estado sobre formas de lidar com estradas e pontes desintegradas e outros projetos de segurança do cidadão. Os cortes educacionais ocorrem num momento em que o caso CCJEF versus Rell provou que o estado tem sérios problemas de disparidade educacional a serem tratados. O estado deve desenvolver orçamentos do estado que não causem, com estes cortes no final de dezembro ao meio do ano, prejuízo aos contribuintes.

Os analistas não partidários dizem que as finanças do estado, a menos que ajustadas, estão no ritmo de quase $ 1.5 bilhão de déficit em 2017-18 e $ 1.6 bilhão no vermelho em 2018-19. O governador Malloy já advertiu os legisladores que ele não vai propor grandes aumentos de impostos para ajudar a equilibrar os gastos, o que significa que ele também recomendará cortes de gastos profundos, o que significa que os municípios devem cavar fundo nos bolsos dos contribuintes para cumprir os mandatos não financiados pelo estado.

Portanto, enquanto observamos Trump no alto e tememos tudo o que está por vir, não esqueçamos que estamos no navio naufragado de Connecticut e podemos nos afogar antes que consigamos ver qualquer um dos nossos medos relacionados ao Trump se materializar.

O governador Malloy, administrações anteriores e muitos legisladores que serviram por décadas e décadas, têm responsabilidade pelos problemas que agora ameaçam nos afundar.

Como eleitores, devemos mudar quem escolhemos no nível estadual se quisermos mudar quem enviamos ao Capitólio do estado para lutar pelos nossos coletes salva-vidas e construir um navio mais seguro para o futuro de nossos filhos. E essa mudança começa agora, vigiando cada movimento nesta sessão legislativa e terminando na urna em 2018.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
January 11, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *