Quando a Vovó Morre: Crianças Experienciando a Morte

Veja esta matéria em English, Español

Educação, PAIS & FILHOS

Quando a Vovó Morre: Crianças Experienciando a Morte

By Anne E. Mead - Tradução: Fernanda Magrini Sinha

Semana passada, três de meus netos experimentaram a morte de sua “vovó”. Ela era o amor de suas vidas e tornava cada férias especial para eles. Ela sempre tinha um presentinho, uma tiara com orelhas para o Natal ou uma história para compartilhar com eles.

Como você explica a morte para crianças com 9, 7 e 5 anos? Quais perguntas elas poderiam fazer? Como você não as assusta pensando que elas poderiam morrer também? O que significa “ir para o céu”? Estou orgulhosa da minha filha e do seu marido pela forma como eles trataram isso. Todos a visitaram várias vezes no hospital e compartilharam o que estavam fazendo durante o dia na escola e em casa. As crianças ajudaram a fazer fotos para pendurar em seu quarto quando ela foi transferida para a casa de repouso. Desenhar os ajudou a sentirem que estavam contribuindo para ajudar a vovó a se sentir melhor. Duas noites antes dela falecer, as crianças deram-lhe grandes abraços e beijos, ela conseguiu abraçá-los e dizer boa noite. Esta é a lembrança de sua vovó.

Na manhã seguinte à morte, seus pais explicaram que a vovó não estava mais sofrendo, ela estava em um lugar seguro, e estava olhando por eles. Houve pouca reação no início. Entorpecimento ao perceber o que estavam lhes contando. Uma perguntou “onde ela está agora?” “No céu”. Uma resposta simples, já que eles sabiam o que era o céu. Conforme os dias se passaram outras perguntas foram respondidas com informações adequadas para a idade das crianças e os ajudarem a processar o que elas estavam sentindo. Comentários como “não tem problema ficar triste, todo mundo sentirá falta da vovó” eram comuns.

As crianças precisam saber que a morte não é assustadora. Todos nós a experimentamos em algum momento, mas nunca dizemos que a pessoa “foi dormir”. Elas podem ficar com medo e não queremos que as crianças associem a morte com o sono. Ajude a dar nome e expressar seus sentimentos falando deles de maneira amorosa. As crianças são como pequenos barômetros; elas podem ler as emoções dos adultos. É bom dizer ao seu filho que você está triste. A compreensão, o apoio, a segurança e a estrutura extra ajudarão uma criança com seus sentimentos de ansiedade e tristeza. Certifique-se de que elas saibam quem cuidará delas e que estarão lá quando precisarem. As crianças que frequentam a escola podem pedir para falar com a assistente social de lá. Uma ligação ou bilhete para o professor é sempre uma boa ideia. Ele pode ajudar a criança a procurar a ajuda do assistente social da escola.

Ajudamos a preparar as crianças lendo “Fall of Freddie the Leaf”, uma história infantil sobre a vida de uma folha, escrita por Leo Buscaglia. A história também está disponível no You Tube. O Healing Heart Center de Danbury (203-702-7400) tem grupos de apoio para crianças de todas as idades e seus pais. Eles têm um programa de verão para crianças que sofrem a perda de um ente querido. Todos nós experimentamos a morte em algum momento de nossa vida. Durante a celebração da vida da vovó, todos falaram sobre como ela amava dançar, sempre tinha um sorriso no rosto e amava seus netos. É assim que precisamos nos lembrar dela. Descanse em paz vovó.

Anne E. Mead, M. Ed., é administradora dos Programas de Educação Infantil e Extensão de Aprendizagem das Escolas Públicas de Danbury. Se você tiver alguma dúvida, não hesite em entrar em contato com ela em 203-830-6508 ou meadan@danbury.k12.ct.us.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
March 25, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *