Relacionamento entre Treinador e Pais. O Quanto Ele é Importante?

View this post in other languages: English, Español

Esportes

Relacionamento entre Treinador e Pais. O Quanto Ele é Importante?

By Estela Camacho

Você se lembra de estar entusiasmado com a participação de seu filho em um esporte ou atividade extracurricular semelhante? Você ansiava pelo dia em que seu filho chutaria a bola de futebol, lutaria em um tatame, gerar um grito da torcida em um jogo de futebol ou arremessar uma bola de beisebol de um suporte fixo? Quando a criança começa a aprender habilidades e a trabalhar em equipe, os pais apreciam o esporte e as experiências a que os jovens estão expostos. À medida que os atletas envelhecem, técnicos e pais podem diferir em metas e resultados que levam a expectativas futuras de entretenimento, competição e dinheiro para a afiliação da equipe ou de uma organização. Interações e relacionamentos começam a se construir entre treinadores e pais.

O treinador principal do DHS, Augustine Tiere, expressou: “É importante que os pais e treinadores se apoiem mutuamente. Em última análise, somos uma equipe que tenta atingir muitos dos mesmos objetivos; para ajudar a desenvolver nossos estudantes-atletas a serem os melhores que podem em todos os aspectos de suas vidas”.

A comunicação constante é fundamental e a treinadora Joann Tatarzycki expressa que é útil estabelecer imediatamente as regras básicas e as expectativas para o programa com os pais. A treinadora T, como suas líderes de torcida do DHS a chamam, disse: “Eu sinto que os estudantes do ensino médio precisam aceitar as consequências e tomar boas decisões quando estão no meu programa”. Ter tempo para transmitir uma explicação pode deixar um pai à vontade e permitir que ele apoie sua decisão.

Lisa Cianflone, mãe de uma líder de torcida do DHS Varsity Cheerleader, acha importante trabalhar em conjunto e encontrar oportunidades de mostrar que você se importa e de ajudar no futuro do atleta. “As menores conversas fazem a diferença”, disse Lisa.

Os pais estão inclinados a expressarem suas opiniões sobre onde seu filho deve jogar, qual posição, qual peso, etc., e é aí que as divergências podem se transformar em caos. Barry Abrams, pai de um atleta de hóquei do DHS declarou: “Eu quero que o relacionamento seja principalmente jogador/treinador, mesmo em tenra idade; assim como eu não interfiro na interação cotidiana de um professor e da criança, o mesmo deve acontecer com um treinador.” As avaliações dos jogadores devem ser deixadas para os treinadores. Nem todo mundo pode ser o quarterback, um arremessador ou goleiro, e o técnico coloca o participante onde sente que cada criança terá sucesso, construindo o triunfo da equipe. Eu suponho que você possa dizer que há um método para a loucura deles.

Nick Kaplanis, presidente da DAYO, mencionou: “Os pais não precisam concordar com a filosofia de um treinador, mas todos precisam trabalhar em equipe para uma temporada de sucesso.”

É importante que os pais participem da experiência esportiva de seus filhos. Há muitos momentos de ensino que vêm dos esportes e você perderá uma fase importante da vida de seu filho. “Uma equipe não é composta apenas de jogadores; inclui treinadores e pais. Nós ganhamos e perdemos juntos.” afirmou Lorraine Amaral, mãe de um kicker do DHS Varsity Football.

De esportes organizados a clubes e equipes de elite até as escolas de ensino médio e além, não fique de fora interferindo no treinamento; deixe os treinadores fazerem seus trabalhos. O pai Jake Muller compartilhou que dá a seus filhos a oportunidade de aprenderem e se desenvolverem com ótimos treinadores; voluntários ou pagos. “Pais que são pais e não treinadores são meus melhores clientes. Muitos pais não sabem as coisas certas a se dizer ou fazer para ajudar um atleta de elite, porque eles os amam muito.”

Há muito sacrifício e dor para um atleta crescer, e os pais, com frequência, podem ser um obstáculo para o atleta nesse processo, afirmou John Degl, treinador e proprietário da Empire Wrestling Academy. O relacionamento pai-treinador deve ser melhorado para o sucesso do atleta.

Para informações adicionais, ligue para Estela Camacho no telefone 203-530-2457 ou envie um e-mail para EstelaGC005@gmail.com. Você também pode aprender mais sobre a organização em www.dayosports.com, Facebook (Danbury Athletic Youth Organization), Twitter (@DAYOinfosports) ou ler sobre nós no Jornal Tribuna.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
October 10, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *