Fique Atento: Fraudes de Autoajuda

Veja esta matéria em: English, Español

FIQUE ESPERTO/PASSE ADIANTE

Fique Atento: Fraudes de Autoajuda

By Catherine Blinder | Tradução: Fernanda Magrini Sinha

À medida que o ano velho termina e o novo se aproxima, muitos de nós vemos isso como a oportunidade de trabalhar para melhorar nossa situação financeira ou pessoal. Resoluções de Ano Novo são fáceis de falar e nem sempre de realizar!

Podemos ser inspirados por publicidade, sites, livros de autoajuda e revistas, mas é importante considerar algumas coisas antes de comprar ou se inscrever em programas ou produtos que prometem um “novo você”.

Embora nem todos os sites de autoajuda sejam fraudes, é importante saber a diferença entre um site que quer ajudá-lo a melhorar e um site que quer lhe vender algo. Seguem abaixo algumas dicas sobre como conseguir ver a diferença entre os verdadeiros sites de autoajuda e os fraudulentos.

Nem tudo na internet é verdade. Quando navegar em diferentes sites, tenha em mente que não é só porque você encontra as informações na internet que elas sejam verdade. As informações que você encontrar em um site de uma página provavelmente foram criadas com o único propósito de vender um produto. É um discurso de vendas. Os sites mais úteis serão aqueles que fornecem bastante artigos adicionais e informações relacionadas a eles para você procurar.

Preste atenção nos sites que parecem úteis, mas apenas o induzem a comprar mais produtos. Embora os melhores sites sejam aqueles que fornecem artigos extras e informações, certifique-se de que eles não o estejam induzindo a comprar mais produtos em uma plataforma diferente.

Cuidado com a “propaganda do medo”. Não deixe que os sites o assustem fazendo-o pensar que você deve comprar o produto. Eles usam táticas de medo para assustá-lo e fazê-lo comprar seu produto, bem como para ganhar sua confiança. Não seja vítima da propaganda do medo!

Os sites podem fazer perguntas que se aplicam a quase todos. Quando os sites querem que você compre um produto, eles podem pedir para você responder perguntas como: “Você já se viu irritado com as pessoas?” ou “Você já disse alguma coisa e se expressou errado?” Quase todo mundo no mundo já ficou bravo ou disse algo que não queria dizer. Fazer perguntas como estas é a maneira que os vendedores encontram para fazer você pensar que há algo errado com você e que o produto deles poderia corrigir.

Cuidado com os sites que usam histórias inspiradoras ou linguagem emocional para vender seu produto. Se um site mostra histórias ou depoimentos que parecem bons demais para ser verdade, provavelmente não são. Eles podem dizer algo como “viciado em drogas desempregado muda de vida e ganha 3 milhões de dólares em 3 dias graças à nossa técnica”. Não se deixe enganar — este é um tipo de propaganda falsa. As empresas também podem usar palavras destinadas a brincar com suas emoções, como “imagine-se…” ou “pense em como você ficaria orgulhoso…” Essas palavras e frases supostamente o levam a fazer uma compra emocional.

Não se deixe enganar — esses sites e seus produtos não transformarão sua vida. Muitos sites dirão que vendem um produto que mudará sua vida. Não caia neste tipo de publicidade falsa.

Os sites podem dizer ser a única solução para um problema. Muitos anunciantes afirmam que têm o produto que é a única solução para um problema comum, quando na verdade a maioria desses problemas têm muitas soluções diferentes.

Não ceda à pressão por causa de um limite de tempo. Muitos vendedores dirão algo como “Haja agora ou esta incrível oferta desaparecerá!” Esta é uma técnica de pressão que se destina a fazê-lo agir rapidamente antes de pensar ou realizar mais pesquisas sobre o produto.

Como o Ano Novo se aproxima, é sempre bom tentar fazer melhorias em sua vida. Mas não se deixe enganar com a compra de produtos desnecessários e inúteis. Seja esperto e informe-se!

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, chefe educacional e agente de divulgação do Departamento de Defesa do Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Proteção ao Consumidor pode ajudá-lo, visite www.ct.gov/dcp.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
December 24, 2016

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *