Mais Fraudes Antigas para o Ano Novo

Veja esta matéria em: English, Español

FIQUE ESPERTO/PASSE ADIANTE

Mais Fraudes Antigas para o Ano Novo

By Catherine Blinder - Tradução: Fernanda Magrini Sinha

Nesta edição reveremos uma outra fraude comum do ano passado. Todos os anos a FTC (Comissão Federal de Comércio) pesquisa todos os 50 estados e publica as fraudes top 10. No último ano, as queixas de cobrança de débito encabeçaram a lista.

Como lidar com cobrança de dívida

Às vezes, até mesmo a pessoa mais responsável pode atrasar o pagamento de suas contas. Todos nós queremos fazer a coisa certa e pagar o que devemos antes do vencimento, mas às vezes uma emergência médica ou outro evento imprevisto pode contribuir para atrasarmos nossas dívidas. Pode ser uma situação estressante, e torna-se muito mais estressante quando alguém começa a ligar a toda hora e ameaçá-lo.

Existe uma lei federal, a Fair Debt Collection Practices Act (FDCPA), que protege os consumidores da cobrança de dívidas agressiva, ameaçadora e assediadora. A lei cobre dívidas pessoais, familiares e domésticas, incluindo dinheiro que você deve em uma conta de cartão de crédito pessoal, um empréstimo de carro, uma conta médica e sua hipoteca. O FDCPA não cobre dívidas de negócios.

Se você encontra-se, por algum motivo, impossibilitado de pagar suas dívidas, e um cobrador começar a ligar e enviar cartas, não ignore-o, ele não irá embora. Tente resolver o assunto — mesmo se acha que não deve o dinheiro, ou não pode pagá-lo imediatamente.

Cada cobrador deve enviar-lhe um “aviso de validação” escrito informando-lhe quanto dinheiro você deve cinco dias após o primeiro contato. Este aviso também deve incluir o nome do credor a quem você deve o dinheiro, e como proceder se não acha que deve o dinheiro.

Se você ignorá-los, eles se tornarão mais agressivos e ameaçadores e podem levá-lo ao tribunal para processá-lo pelo que acreditavam que lhes é devido. Se chegar a esse ponto, e você receber uma carta informando que está sendo processado, não a ignore! Se um cobrador inicia uma ação judicial contra você para cobrar uma dívida, responda à ela, pessoalmente ou através de seu advogado, até a data especificada nos documentos do tribunal para preservar seus direitos.

Há limites do que um cobrador pode fazer no processo de coleta de dívidas.

Eles não podem:

  • ligar para você em horários inconvenientes, como antes das 8:00 ou depois das 21:00 horas.
  • incomodá-lo em seu local de trabalho seja oralmente ou por escrito.
  • fingirem ser outra pessoa, como um advogado ou uma agência governamental.
  • assediar, ameaçar, enganar ou ligar para seus parentes.
  • usar ameaças de violência ou danos.
  • publicar uma lista de nomes de pessoas que se recusam a pagar suas dívidas (mas podem dar essas informações às empresas de crédito).
  • usar linguagem obscena ou profana.
  • fornecer informações de crédito falsas sobre você a qualquer pessoa, incluindo uma empresa de crédito.
  • enviar-lhe qualquer coisa que pareça um documento oficial de um tribunal ou agência governamental se não for.
  • contatá-lo através de cartão postal.
  • dizer que você será preso se não pagar sua dívida.

Eles podem entrar em contato com você por telefone, carta, e-mail ou mensagem texto para tentar cobrar, contanto que sigam as regras e lhes diga que estão cobrando uma dívida.

Se você acredita que não deve dinheiro, envie ao cobrador uma carta declarando que você não deve nenhum ou todo o valor, ou peça a verificação da dívida. O cobrador deve parar de entrar em contato com você. Você deve enviar essa carta no prazo de 30 dias após receber o aviso de validação. Mas um cobrador pode começar contatando-o outra vez se lhe emitir uma verificação escrita da dívida, como uma cópia de uma conta do valor que você deve.

É muito melhor responder à primeira ligação, mesmo se você não puder pagá-la na íntegra. A maioria dos cobradores trabalharão para criar um plano de parcelamento que você possa pagar. Eles preferem algo do que nada. E lhe darão a chance de pagar suas dívidas sem o assédio constante que pode vir com a cobrança de dívidas.

Lembre-se, existem regras sobre o que eles podem ou não fazer, e você deve mostrá-los que está ciente dessas regras.

 

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, chefe de educação e divulgação oficial do Departamento de Defesa do Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Proteção ao Consumidor pode ajudá-lo, visite www.ct.gov/dcp.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
January 28, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *