Golpes de Casas Funerárias que Devem Ser Evitados

View this post in other languages: English, Español

Get Smart - Pass It On

Golpes de Casas Funerárias que Devem Ser Evitados

By Catherine Blinder

Nesta coluna, geralmente discutimos maneiras de evitar golpes e fazer escolhas inteligentes para nós mesmos e nossa família em relação às decisões do dia-a-dia. Mas é importante falar sobre coisas que também são difíceis, e nada é mais difícil que perder um ente querido.

A maioria de nós prefere não pensar em funerais e, como resultado, podemos nos encontrar em desvantagem quando devemos fazê-lo. Forçados a tomarmos decisões sobre os preparativos finais rapidamente pode nos tornar vulneráveis as fraudes.

Conhecer os desejos de nossos entes queridos de antemão pode nos ajudar a fazer escolhas mais informadas quando chegar a hora de tomarmos essas decisões difíceis. E saber o que está disponível antes que essas decisões tenham que ser feitas pode nos ajudar nos detalhes.

Conhecer suas opções e as leis que afetam as casas funerárias ajudará você a decidir o que é melhor para sua família.

A ‘regra do funeral’

A Comissão Federal de Comércio exige que as casas funerárias ofereçam 3 listas de preços aos consumidores quando eles ligam ou a visitam pela primeira vez:

  1. Uma lista detalhada de todos os produtos e serviços oferecidos;
  2. Preços do caixão;
  3. Preços das sepulturas.

Ela também proíbe que as casas funerárias obriguem os clientes a comprarem serviços desnecessários. Esta decisão foi estabelecida em 1984, antes da internet. Isso significa que não exige que essas casas funerárias listem seus preços on-line. Isso torna mais fácil para elas fraudarem os clientes — conversando com eles para comprar caixões mais caros, pacotes de funeral, ou convencê-los a comprar um “complemento” que já está incluído no pacote.

Insista para ver essas listas.

Golpes comuns de casas funerárias

  1. Requerer serviços ou produtos desnecessários

Algumas casas funerárias tentarão convencer os consumidores a comprarem serviços ou produtos extras, chamando-os de “requisitos”. Os dois serviços mais comuns e os produtos que tentam impor aos consumidores são:

  • Embalsamento; isso é usado para preservar o corpo, principalmente para funerais com caixão aberto.
  • Caixões de proteção; usados para preservar o corpo por mais tempo e protegê-lo da água.
  1. Pagamento adiantado

O planejamento a longo prazo para um funeral é sempre uma escolha sábia. Isso permite que você e sua família comparem os preços e assegurem que os preparativos sejam exatamente como você os quer. Também pode aliviar os familiares do encargo financeiro de um funeral.

Alguns anos atrás, o FBI descobriu um plano de enterro pré-pago que atingiu 97 mil pessoas em 16 estados, e elas perderam mais de US $450 milhões em bens e serviços que nunca foram fornecidos.

Pode ser uma boa ideia, mas faça algumas perguntas primeiro — se você se aposentar fora do estado, os fundos pré-pagos serão honrados? A funerária ainda estará no negócio?

  1. Comprar um caixão para a cremação

Se optar por cremar seu ente querido, você não precisa comprar um caixão acabado — qual seria a vantagem? Algumas casas funerárias exigem que os consumidores o façam quando não for necessário, mas se o corpo do seu ente precisa ser mantido antes da cremação, você pode optar por comprar um caixão pouco elaborado e inacabado por esse curto período de tempo.

Como um caixão, uma casa funerária não deve cobrar o embalsamamento quando você está cremando, pois o corpo não precisa ser preservado para visualização pública.

  1. ‘Conselheiros de luto’

Os ‘conselheiros de luto’ no local devem ajudar os consumidores e entes queridos a entenderem as escolhas quando planejam um funeral e um enterro. No entanto, muitas vezes esses conselheiros se aproveitarão de você. Eles podem tentar convencê-lo de que as opções caras são as “melhores para sua família”. Só você pode saber o que é melhor para a sua família, e é muito provável que não faça dívidas desnecessárias.

O que você pode fazer

Planejar antes de agir – Se o planejamento é para você ou para um ente querido, sempre é melhor planejar quando não está sob estresse. Desta forma, você pode evitar casas funerárias cobrando por itens extras. Certifique-se de entrar em contato com o Departamento de Proteção ao Consumidor (DCP) se achar que os serviços do funeral ou produtos fornecidos não estão de acordo com seu contrato, se os serviços prestados são para fins pré-pagos ou necessários.

Obtenha todos os acordos por escrito – Isso é muito importante, mesmo que uma casa funerária seja legítima e tente fazer o que é certo, e não queira enganá-lo, é sempre crucial ter contratos escritos para evitar erros de comunicação.

Peça uma lista detalhada de preços – Você tem o direito de ver uma lista de preços detalhados ao planejar um funeral, então certifique-se de pedir uma antes de tomar decisões ou realizar uma compra.

Traga um membro da família ou um amigo – Eles podem ajudá-lo a ser mais racional e objetivo. Estar com alguém com quem você confia ajudará a evitar fraudes. Há muitas coisas que devemos considerar ao perder um ente querido, providenciar o serviço e o enterro não deve causar mais sofrimento.

Se você tiver uma queixa contra uma casa funerária ou acredita que tenha sido enganado, você pode:

 

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, diretora de educação e divulgação do Departamento de Proteção ao Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Proteção ao Consumidor pode ajudá-lo, visite-nos on-line em www.ct.gov/dcp.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
March 21, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *