O Empréstimo que Não Termina

View this post in other languages: English, Español

Get Smart - Pass It On

O Empréstimo que Não Termina

By Catherine Blinder

Vinte e cinco anos atrás, quando eu era mãe solteira e trabalhava em dois empregos, meu carro era a coisa mais importante que eu possuía. Ele me levava ao trabalho, levava meus filhos a consultas, esportes e atividades extraescolares. Era velho e surrado e, no inverno, o aquecedor demorava meia hora para esquentar, mas para a maioria das coisas ele era confiável.

Então, um dia ele deixou de ser, e eu estava presa na estrada sem ter como pegar meu filho nos escoteiros. Acabei indo para uma concessionária “Compre aqui, pague aqui” onde, por muito pouco dinheiro e um plano de financiamento de longo prazo, consegui dirigir para casa no que parecia ser um bom carro usado.

Vários meses depois, quando eu estava um dia atrasada com o pagamento, aquele carro foi tirado da minha garagem.

Pesquisas mostram que 85% de todos os trabalhadores dependem de um carro para chegar ao trabalho, para muitas pessoas ele é uma necessidade, não um luxo. E a compra de um carro novo pode estar fora do alcance de muitos trabalhadores de baixa renda.

No entanto, concessionárias predatórias estão lá para pegar seu dinheiro e o carro de volta se você, como eu descobri, atrasar um dia seu pagamento.

Para milhões de americanos que têm crédito instável e precisam recorrer a empréstimos subprime com altas e pesadas taxas de juros para comprar um carro, não há como sair dele, você terá que continuar pagando mesmo que o carro tenha sido recuperado.

A fraude em todo o setor bancário e o fácil acesso ao crédito para os compradores domésticos de subprime levaram à queda do setor imobiliário uma década atrás, mas os credores nunca fecharam a torneira dos financiamentos para automóveis. Esses golpistas estão usando a mesma fórmula para vender carros usados.

Quando a recuperação da crise de 2008 começou, o setor financeiro mudou sua meta para compradores ruins e com pouco crédito, e, por sua vez, as vendas de carros aumentaram. O foco no financiamento de automóveis subprime trouxe vendas recorde em toda a indústria automobilística em 2016 e 2017. Agora, os americanos detêm US$ 1,24 trilhão em dívidas de empréstimos para automóveis.

Esses revendedores de automóveis não se importam se você tem um crédito ruim, nenhum crédito, um histórico de execuções hipotecárias, falência ou reintegrações anteriores. Na verdade, eles visam pessoas com uma história como essa! Isso significa que a probabilidade deles reapoderarem-se do carro é maior e eles podem revender o mesmo carro para alguém na mesma condição.

Se você comprar um carro usado com um empréstimo subprime, provavelmente pagará entre 19% e 29% de juros. E o que torna os pagamentos mensais acessíveis é o fato de que eles estendem o empréstimo por um longo período. Isso, por sua vez, aumenta o custo final do carro. É possível que você pague US$ 13.000 por um carro que originalmente custou US$ 3.000. E isso em apenas um pouco mais de três anos.

Muitos desses financiamentos de automóveis também têm o hábito de assombrar as pessoas muito depois de seus carros terem sido retomados, e foi relatado que mais de 35% de todos os carros com financiamento subprime são retomados. E você ainda é responsável pela dívida, mesmo que não tenha mais o carro.

A taxa de inadimplência nesse tipo de empréstimo é geralmente de uma em três, sete meses depois da compra. Isso significa que uma em cada três pessoas que usam esses tipos de empréstimos terá seu carro recuperado. A razão para as transações de juros altos, argumentam a concessionária e o credor, é dar conta do risco que elas correm ao financiar o carro de um comprador com baixo crédito.

Esse tipo de empréstimo predatório acontece porque muitas vezes se diz que é caro ser pobre. Tudo custa mais quando você precisa daquilo rapidamente. E isso deixa as pessoas desesperadas – então, quando você recebe o que parece ser um cheque com uma grande quantia pelos correios, dizendo que você pode aplicar esse cheque em um carro usado, pode sentir-se tentado. Ou quando aqueles anúncios de televisão barulhentos dizem que você pode comprar um bom carro usado mesmo se não tiver renda – desligue a TV!!

Se parece bom demais para ser verdade, provavelmente é.

Ao comprar um carro, não tenha pressa, olhe ao redor, converse com seu banco ou cooperativa de crédito para ver se você se qualifica para um empréstimo razoável. Pergunte a um parente ou amigo com crédito melhor se ele faria um financiamento, mas não ceda à tentação imediata de conseguir algo por muito pouco. Economizar para grandes compras, sejam carros ou móveis, é sempre melhor e mais seguro.

Quando meu carro foi recuperado, aprendi minha lição. Mas essas lições são difíceis para pessoas que trabalham duro em empregos com baixa remuneração. O carro seguinte que comprei, economizei e consegui um financiamento em uma instituição financeira de boa reputação.

Como sempre, passe adiante, converse com amigos e familiares e lembre-se de pensar bem ao fazer compras grandes!

 

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, diretora de educação e extensão do Departamento de Proteção ao Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Proteção ao Consumidor pode ajudá-lo, visite-nos on-line em www.ct.gov/dcp.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
October 10, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *