O Que Você Pode Fazer com os Cobradores de Dívidas?

View this post in other languages: English, Español

Get Smart - Pass It On, Noticia

O Que Você Pode Fazer com os Cobradores de Dívidas?

By Catherine Blinder

Ano passado, nós escrevemos sobre seus direitos quando os cobradores de dívidas ligam. Um dos momentos mais vulneráveis para muitos de nós em termos de uso do cartão de crédito é durante as festas, quando você pode ter um crédito e orçamento ampliado!

Vale lembrar a todos os direitos que os consumidores têm em relação à cobrança de dívidas. E especialmente os idosos, que são alvos mais frequentes de golpes e cobradores de dívidas. Quando o telefone toca com ameaças e acusações muitas vezes amedrontadoras, é importante saber o que os cobradores podem e não podem fazer. E o que você pode fazer para evitar estar nessa posição!

Apesar de todas as boas intenções e do melhor planejamento, às vezes nos encontramos incapazes de pagar as contas em tempo hábil. A melhor coisa a fazer, se você não conseguir pagar as contas a tempo, é ligar para o hospital, a empresa de cartão de crédito ou a loja e tentar elaborar um plano de pagamento que lhe seja viável pagar. A maioria ficará feliz por você não os ignorar e trabalharão para que você pague sua dívida. É importante que, uma vez que você concluir um acordo, honre seu compromisso de pagamento — então seja razoável quando concordar com um montante mensal. Se você só pode pagar US $50,00 por mês, avise-os, eles preferem trabalhar com você para diminuir a dívida do que trabalhar com os cobradores.

Os cobradores de dívidas devem lhe enviar um “aviso de validação” por escrito que diz quanto dinheiro você deve 5 dias depois de entrar em contato com você. Eles também devem incluir o nome do credor para quem você deve o dinheiro e como proceder se acha que não o deve.

Esteja ciente de que algumas pessoas que se identificam como cobradoras de dívidas podem ser golpistas tentando coletar dinheiro que não devemos, e, novamente, eles tendem a fazer isso com idosos. Se você acredita que não tem a dívida, envie uma carta afirmando que não deve nada ou todo o valor, e solicite verificação, eles devem parar de entrar em contato com você nesse ponto. Você deve enviar essa carta no prazo de 30 dias após receber o “aviso de validação”.

Se você acha que sua conta foi entregue a um cobrador de dívidas, tem direitos e eles têm regras que devem seguir. O Fair Debt Collection Practices Act (FDCPA) descreve claramente o que eles podem e não podem fazer para cobrar o dinheiro devido aos seus clientes. O FDCPA não cobre os débitos que incorrem na administração da sua empresa.

Eles não podem, por exemplo:

  • Ligar para você antes das 8h e depois das 21h.
  • Ligar em seu trabalho, se foram informados, oralmente ou por escrito, de que não são permitidas ligações pessoais.
  • Discutir sua dívida com alguém que não seja você.
  • Ameaçar com violência ou ofensa, linguagem abusiva, obscena ou profana, ou usar repetidamente o telefone para lhe irritar.
  • Fingirem ser advogados ou representantes do governo.
  • Afirmar que você cometeu um crime.
  • Deturpar o valor que você deve.
  • Indicar que os documentos que eles enviam são legais, se não forem, ou indicar que os documentos não são documentos legais se forem.
  • Dizer que você será preso.
  • Dizer que vão confiscar, notificar, anexar ou vender sua propriedade, a menos que sejam permitidos por lei.

Se um cobrador de dívidas apresentar uma ação judicial contra você, responda. Nada de bom acontecerá se você ignorar uma cobrança legítima de dívidas. Se você pode pagar um advogado, é inteligente fazer isso. Certifique-se de responder até a data especificada nos documentos judiciais para preservar seus direitos.

Se você acha que um cobrador de dívidas violou qualquer uma das regras de conduta, denuncie-o ao Ministério Público (http://www.ct.gov/ag/lib/ag/consumers/consumercomplaintform.pdf)

Lembre-se, é melhor atender as ligações quando você se encontra com dívidas e tentar elaborar um plano de pagamento, mas se acabar nas mãos de um cobrador, responda à primeira ligação ou carta e elabore um plano com eles. Como é uma transação comercial, ela exige que eles o tratem com respeito e sigam as regras.

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, diretora de educação e divulgação do Departamento de Proteção ao Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento pode ajudá-lo, visite www.ct.gov/dcp.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
December 24, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *