Saiba o Que Dizem Seus Contratos

View this post in other languages: English, Español

Get Smart - Pass It On

Saiba o Que Dizem Seus Contratos

By Catherine Blinder

A América está envelhecendo. Projeta-se que o número de americanos com 65 anos ou mais irá mais do que dobrar de 46 milhões para mais de 98 milhões até 2060. Pessoas com 65 anos ou mais se tornarão 24% da população até lá.

Juntamente com o envelhecimento da população, haverá um aumento das empresas que vendem produtos voltados para idosos. Já podemos ver isso pelo número de ofertas de produtos e serviços que nossos idosos recebem todos os dias pelo correio e que são anunciados na televisão.

Um dos produtos mais populares é o Sistema de Resposta de Emergência Pessoal. Esses sistemas permitem que uma pessoa mais velha aperte um botão para alertar sobre uma emergência médica se estiverem sozinhos.

Se você ou um amigo recentemente teve uma morte na família, está ciente da triste responsabilidade de organizar, fechar e pagar contas e garantir que tudo seja resolvido. Se você está atualmente enfrentando essa responsabilidade ou conhece alguém que esteja, há uma nova lei em Connecticut que você deve conhecer.

Se a pessoa que você ama comprou um Sistema de Resposta de Emergência Pessoal, provavelmente assinou um contrato com a empresa que o forneceu e, mais do que provável, fez pagamentos mensais. Muitas vezes, essas empresas continuam cobrando o falecido e, às vezes, incomodam os membros da família para que continuem pagando pelo sistema.

A empresa dirá que você é obrigado a continuar pagando, e explicará que o contrato assinado por seu familiar ainda está em vigor.

Você pode achar que parece razoável, já que seu familiar assinou um contrato com a empresa. No entanto, um projeto aprovado recentemente, que entra em vigor em 1º de julho de 2018, declara que um contrato para um Sistema de Resposta de Emergência Pessoal é encerrado quando o cliente morre. Sua família não tem que pagar o resto do contrato e não são responsáveis por quaisquer outras taxas.

Se uma dessas empresas ainda estiver tentando fazer com que você pague pelo serviço, tente contatá-la e explicar a situação. Se continuarem tentando forçá-lo a pagar, entre em contato com o Departamento de Proteção ao Consumidor (https://portal.ct.gov/DCP/Complaint-Center/Consumers—Complaint-Center).

É importante ler todos os contratos com cuidado e, se não entender a linguagem jurídica ou se ela estiver escrita de maneira confusa, peça ajuda. Contratos podem ser muito difíceis de entender. Todos eles devem ser escritos em inglês claro, mas muitos não são. Se o inglês não for sua primeira língua, peça ajuda de pessoas de confiança da comunidade para traduzi-lo. Certifique-se de entender tudo antes de você ou seus familiares assinarem.

Se um consumidor não entender um contrato e assiná-lo de qualquer maneira, poderá ser responsabilizado mesmo que não tenha entendido as informações.

Golpistas e empresas desonestas não visam seu interesse e podem querer se aproveitar da morte de um membro da família. Com este novo projeto de lei, você não precisa mais se preocupar em pagar este contrato ou qualquer taxa de responsabilidade.

Fique seguro e passe esta informação para familiares e amigos!

Como sempre, se suspeitar que uma empresa está tentando tirar vantagem de você, entre em contato com o DPC.

Este artigo foi escrito por Catherine Blinder, diretora de educação e extensão do Departamento de Proteção ao Consumidor do Estado de Connecticut. Para saber mais sobre como o Departamento de Proteção ao Consumidor pode ajudar, visite-nos on-line em www.ct.gov/dcp.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
July 6, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *