Série Diálogo Comunitário – PARTE I: Prefeito Boughton Fala Sobre o ICE

Veja esta matéria em English, Español

Cover, Imigração, Noticia, Política

Série Diálogo Comunitário – PARTE I: Prefeito Boughton Fala Sobre o ICE

By Emanuela Palmares & Tribuna Staff

Nota da Editora: Este artigo é o primeiro de uma série de três partes cobrindo um diálogo de duas horas com o prefeito de Danbury, Mark Boughton, o chefe da polícia, Patrick Ridenhour, e o vice-superintendente das escolas públicas, Dr. Bill Glass, sobre imigração e relações comunitárias. Começaremos a série com a transcrição da resposta do prefeito Boughton à pergunta feita no painel: “O que significa uma possível parceria entre o ICE e a cidade de Danbury para nossa comunidade de imigrantes?”

 

Prefeito Boughton sobre o ICE

Sempre provemos cooperação ao ICE quando eles nos pediram. Não iniciamos contato com o ICE. Darei dois cenários rápidos de como isso acontece. Em seguida, continuaremos a falar sobre a política. Temos também de operar sob a última lei que foi aprovada em 2013, o TRUST Act. Eu não posso, como líder da comunidade, dizer: “Você tem que seguir a lei” e, então, simplesmente não seguir a lei e deixar isso passar. Eu acho que a melhor maneira de descrever isso e para que você compreenda como trabalhamos, é mostrar-lhe um cenário.

Normalmente, existem duas maneiras nas quais nos envolvemos com o ICE. Uma delas é quando o ICE pode estar realizando uma investigação, essa investigação pode incluir não apenas o ICE, pode incluir o FBI [Agência Federal de Investigação], pode incluir a DEA [Administração de Repressão às Drogas], ou o ATF [Departamento de Tabaco, Álcool, Armas de Fogo e Explosivos]. Eles perguntam e dizem: “Escuta, precisamos da sua ajuda. Não conhecemos Danbury muito bem, você pode nos deixar usar um de seus detetives por algumas semanas para fazer parte desta força-tarefa, como parte dessa investigação”. Essa força-tarefa ou investigação geralmente é dirigida contra, francamente, alguns crimes muito horríveis. Pode ser tráfico de seres humanos. Pode ser escravidão sexual. Pode ser crimes contra crianças, apenas coisas terríveis que ninguém nunca quer em sua comunidade. Então, trabalharemos com eles.

A outra maneira que podemos estar envolvidos com eles é se nos ligarem e disserem: “Estamos procurando Johnny Jones. Você sabe onde ele mora? Você sabe onde é a rua?” E forneceremos a assistência e o apoio para informá-los. Em ambos os casos: a) tem de ser feito sob as limitações do Trust Act; e b) é uma razão muito específica de estarmos trabalhando com eles.

O Trust Act foi aprovado em 2013 e assinado pelo governador. [Ele] especifica quando e como você pode trabalhar com o ICE. A maioria desses casos envolve crimes ou o potencial de algum dano que esteja sendo feito a comunidade. Ele também envolve detenções, que são pedidos do ICE que dizem: “Bom, queremos que você detenha este cara ou este camarada porque há um problema”. Eu vou explicar algumas das diferenças entre Danbury e outras cidades e depois vou passar para o chefe Ridenhour, e permitir que ele continue. Ele também responde aos mandados do tribunal federal [é um documento legal emitido por um juiz federal que permite que as pessoas façam uma busca, apreensão ou prisão] emitidos por um juiz.

Há muita autonomia no Trust Act e ele está sujeito a muita interpretação em diferentes departamentos, interpretado de forma diferente, mas temos um sistema muito bom e, o mais importante, temos muito bons detetives aqui em Danbury que conhecem a lei e sabem como utilizar essa parte da legislação; que é a lei. Isso é praticamente como nós operamos. Nada mudou sobre isso.

Há vários anos, antes disso, participamos de um programa, chamado 287(g). [Ele é] parte do Código Federal; já está lá. Não é algo que o presidente Trump inventou; ele sempre esteve lá. Esse programa foi muito controverso. Alguns de vocês podem ter saído e levantado placas, protestando em frente à prefeitura.

O que descobrimos, parte do desafio com qualquer tipo de programa como esse, é que tem que haver muita comunicação, antes dele sair. Nós fizemos o programa e acho que é justo dizer que as pessoas na comunidade indocumentada pensaram que seria uma coisa, [e] acabou sendo algo completamente diferente. Apreendemos mais de 20 pessoas nesse programa. [E] cada uma delas, se lhe dissesse o que elas fizeram aqui, você diria: “Eu não quero que essa pessoa viva entre nós”. Crimes contra crianças, um indivíduo tinha oito acusações por dirigir embriagado. Oito! Ele poderia ter matado alguém. Outras pessoas estavam envolvidas no tráfico de seres humanos. Pessoas que foram presas quatro vezes por tráfico de drogas, tráfico de drogas graves, violações de armas, coisas que você simplesmente não quer na comunidade.

Foi assim que usamos esse programa. Se você me perguntasse, eu diria que [embora a] parceria tenha causado muito medo no início, depois de cerca de seis meses, alguém diria: “Ah, agora eu entendo, sem problema”. Tudo isso está fora do caminho. O presidente Obama eliminou esse programa em 2010. Em seguida, ele o substituiu por Comunidades Seguras, que era diferente. Nós não fomos e refizemos o treinamento que os detetives tinham, e assim por diante. Então, eu acho que o que eu estou tentando dizer é que, uma vez que ele foi extinto, nossa política sempre foi a de seguir o Trust Act e cooperar quando solicitados. Nós geralmente não iniciamos nenhum tipo de investigação, e repito, a menos que envolva alguns crimes horríveis.

O problema que temos aqui é que quando o governador envia a diretiva ou diretrizes dizendo: “Qualquer departamento de polícia, não recomendamos que você trabalhe com o ICE”, filosoficamente, tenho um problema com isso do lado da aplicação da lei. Eu entendo sua preocupação, mas para ficar seguro aqui e ser proativo, precisamos usar todas as ferramentas que temos para proteger nossos moradores. Continuaremos a fazer isso. A única coisa que fazemos que é um pouco diferente de New Haven, e alguns advogados, vocês certamente sabem mais sobre disso do que eu, é que vamos honrar um mandado do tribunal, um mandado federal de um juiz. O juiz diz: “Se colocarmos o seu nome no sistema coletivo de dados e encontrarmos algo”; por algo quero dizer: “Temos um problema aqui”, ele  solicita: “Por favor, mantenha esta pessoa para um mandado emitido pela justiça imigratória”. Então, vamos segurá-la.

Às vezes, eles dizem: “Deixe-os ir, estamos muito ocupados”. [Isso] não é nossa prioridade, em relação ao que estamos procurando. Outras vezes, eles dirão: “Estaremos aí em um ou dois dias para pegar a pessoa”. Isso é um pouco diferente do que outras comunidades fazem, mas, novamente, é muito raro quando isso acontece, e a verdade é que é muito seguro. Talvez, várias vezes por ano e mais que disso, se houver uma investigação em curso, queremos fazer parte dela, queremos saber por que agentes federais estão na nossa cidade, queremos saber o que estão fazendo, se há motivo para preocupação. Eu prefiro fazer parte dessa investigação do que ficar de fora, com muitos de vocês ligando e dizendo: “O que está acontecendo? Eu vi todos esses carros de polícia, algo está acontecendo”. E nós [a cidade]  não termos nenhum envolvimento. Se nos envolvemos e sabemos o que está contecendo, podemos dizer: “Estamos envolvidos em uma investigação, não posso discutir o que é, mas temos trabalho a fazer e você realmente não precisa interromper sua rotina”.

Além disso, quando recebemos ordens do governador, se sou colocado em uma posição que um jornal me chama, e pergunta: “Você vai trabalhar com o ICE?” [Eu responderei] “Continuaremos a mesma política que sempre tivemos. A resposta é sim”. Isso não é um endosso a nenhuma política nacional. É um endosso ao que fazemos aqui, que tem funcionado para manter nossa cidade segura.

 

Em nossa próxima edição, apresentaremos a transcrição de partes do longo período de perguntas e respostas e nos concentraremos nas observações do chefe Ridenhour. A terceira cobrirá as observações do Dr. Bill Glass sobre como a questão do ICE tem impactado os alunos e as famílias no distrito, com dicas úteis para pais e guardiões protegerem seus filhos.

Para saber mais sobre o TRUST Act, visite este link: https://www.cga.ct.gov/…/pdf/2013PA-00155-R00HB-06659-PA.pdf

Para ver o vídeo completo da reunião, visite a página do Tribuna no Facebook ou este link no nosso site (http://tribunainenglish.com/news/community-meeting-on-ice-and-the-city-of-danbury/).

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
March 8, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *