5 Mitos Sobre Seguro de Vida Desmistificados

View this post in other languages: English, Español

Noticia

5 Mitos Sobre Seguro de Vida Desmistificados

By StatePoint

Seguro de vida, algo que a maioria das pessoas precisa, mas um tópico que ninguém quer discutir, levando a muitos equívocos.

Para ajudar você a entender tudo, aqui estão cinco mitos comuns desmistificados — bem a tempo para o Mês Nacional de Conscientização do Seguro de Vida em setembro:

  1. Sou solteiro, não preciso de seguro de vida. A maioria das pessoas acha que o seguro de vida é mais necessário para os casados do que para os solteiros, de acordo com o Estudo do Barômetro de Seguros de 2017 da Life Happens e da LIMRA. Mesmo se você é solteiro e não tem filhos, ainda pode deixar familiares que teriam que pagar suas dívidas. Por exemplo, se você tiver um fiador em um empréstimo, ele ou ela seria responsável por pagá-lo de volta. Seguro de vida pode proporcionar paz de espírito, potencialmente pagando todas as dívidas remanescentes. Ou, se quiser deixar dinheiro para uma instituição de caridade, o seguro de vida pode ajudar a garantir que seus desejos sejam cumpridos.
  2. É muito caro. O custo é uma das principais razões pelas quais as pessoas não compram seguro de vida. Sessenta e seis por cento dos participantes do Estudo do Barômetro de Seguros disseram que é muito caro. Os mesmos consumidores superestimaram o preço em mais de três vezes o custo real. Pode custar apenas US$ 14,24 por mês para uma apólice de US$ 250 mil na Erie Insurance, por exemplo. Isso é menos de 50 centavos por dia. A geração do milênio pode ter uma chance ainda maior de compra enquanto ainda são jovens. As apólices normalmente são menos caras, pois eles geralmente são mais saudáveis e possuem menos bens.
  3. Meu empregador fornece seguro de vida; não preciso do meu próprio. Embora seja ótimo ter cobertura por meio de um empregador, isso geralmente não é suficiente. “Um benefício típico de vida em grupo é duas vezes o seu salário anual, mas você pode precisar de seis a oito vezes mais do que seu salário apenas para equilibrar as coisas”, diz Louis Colaizzo, vice-presidente sênior da Life na Erie Insurance. Além disso, se aceitar outro emprego, sua apólice pode não ser transferível.
  4. Sou dona de casa. Se você não é o chefe da família da sua casa, pode achar que sua família não depende da sua renda. No entanto, pense no valor de todos os serviços não pagos que precisariam ser substituídos, como cuidados infantis, limpeza doméstica, transporte e cozinhar. Uma mãe que fica em casa em 2018 contribui com um salário de US$ 162.581 por ano, segundo pesquisa da Salary.com.
  5. Eu não tenho tempo para pesquisar ou me inscrever. Um agente de seguros pode orientá-lo rapidamente no processo para identificar o que você precisa e quais são suas opções, além de explicar os termos. Pense no seu agente como um parceiro confiável que ficará de olho em como sua apólice acompanha sua vida. Além disso, nos aplicativos dos provedores como Erie Insurance leva apenas 15 minutos, não inclui formulários complicados e pode não exigir visitas do médico.

Conclusão: a maioria das pessoas pode se beneficiar do seguro de vida, mas não é um cenário único para todos. O valor necessário depende realmente das circunstâncias individuais. Para proteger aqueles que mais importam, consulte o seu agente de seguros para garantir a cobertura certa.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
August 22, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *