Danbury Recebe Subsídio para Ajudar Famílias de Baixa Renda e Trabalhadores na Pobreza

View this post in other languages: English, Español

Agenda, Noticia

Danbury Recebe Subsídio para Ajudar Famílias de Baixa Renda e Trabalhadores na Pobreza

By Ryan Stewart

Danbury é uma das cinco cidades de Connecticut a ganhar uma concessão de vários anos por um júri independente em associação com o Federal Reserve Bank of Boston, mais comumente conhecido como Boston Fed ou, simplesmente, Fed.

Os prêmios do Subsídio de Implementação são um dos dois tipos de subsídios dados aos municípios elegíveis da Nova Inglaterra que expressem interesse, solicitem e completem o Working Cities Challenge (COE), uma competição de caridade projetada pelo Fed e seu comitê diretivo em parceria com a organização filantrópica Living Cities. Os subsídios são fornecidos às cidades para que elas aumentem a produtividade econômica local, com a intenção de melhorar a qualidade de vida das famílias de baixa renda e dos trabalhadores na pobreza.

O júri concedeu US $2,25 milhões a cinco das 10 cidades de Connecticut qualificadas para candidatarem-se ao Subsídio de Implementação: Danbury, East Hartford, Hartford, Middletown e Waterbury, com cada uma recebendo um quinto do subsídio total, ou US $450.000 cada.

Danbury garantiu sua parcela do prêmio através dos esforços de sua própria equipe Challenge, cujo foco é o projeto de desenvolvimento comunitário, DanburyWORKS, uma iniciativa criada em 2016 e liderada por 15 organizações locais, entre elas o United Way of Western Connecticut (UWWC), um grupo de engajamento comunitário de caridade com base em Stamford.

O foco da DanburyWORKS é eliminar os obstáculos que impedem os danburyans de participarem da comunidade e na tomada de decisões, e aqueles que impedem que eles recebam treinamento de qualidade, emprego e treinamento profissional; o objetivo estabelecido a longo prazo é reduzir a pobreza entre imigrantes residentes e pessoas negras em 30% nos próximos 10 anos.

Em 5 de fevereiro, a cidade de Danbury e sua equipe Challenge receberam formalmente o Subsídio de Implementação em uma conferência realizada no Danbury Educational Services Center, localizado à Rua Osborne.

Michelle James, diretora do CAAWC e co-presidente do comitê do WCC de Danbury, compartilhou alguns dos comentários de abertura, observando que a abordagem da equipe evoluiu com base em uma série de pesquisas distribuídas para as populações relevantes e pequenas empresas em toda a cidade. Entre as principais preocupações da comunidade de imigrantes em Danbury, destacam-se duas: a dificuldade de aprender inglês como segunda língua e a capacidade de manter as crianças em creches.

A administradora de Educação Infantil da Universidade de Danbury, Anne Mead, disse após a conferência: “Precisamos garantir que toda criança que chega a Danbury, que vai para a escola, tenha experiência cedo em creches”. Ela enfatizou que não será uma tarefa fácil: “Cerca de 300 crianças que chegam por ano ao jardim de infância [aqui] não tiveram uma educação pré-escolar formal”.

Falando em nome das pessoas negras, a residente de Danbury, Marlene Moore-Callends, agente de imóveis local e membro da equipe Challenge, disse: “Descobri que as pessoas negras simplesmente não estavam confiantes, mesmo comigo… senti que estava continuamente explicando [coisas]… Nós [pessoas negras] sentimos que não temos nenhuma opinião sobre o que acontece ao nosso redor”.

A facilitadora WERACE, Jody Huzina, envolvida nos programas de educação de adultos e continuada de Danbury, acrescentou: “Há uma camada geral de alunos que não aparecem porque não sabem ou confiam em nós”, mas que “o subsídio nos dará a oportunidade de fornecer muitas outras classes de idiomas”.

O presidente do Centro Cívico Equatoriano, Wilson Hernández, compartilhou que os níveis de confiança entre as comunidades imigrantes e não imigrantes diminuíram devido ao receio da deportação, prisão e separação de suas famílias e amigos: “Vemos notícias todos os dias… As autoridades estão tentando ver se você está aqui legalmente”.

A coordenadora de participação comunitária da DPCP, Elizabeth Quiñonez, imigrante e residente de Danbury há dois anos, mencionou outras dificuldades para as famílias de baixa renda que vivem na cidade, dizendo: “Mesmo que eu mantenha meu emprego, eu pago 50 ou 60% de minha renda para a creche”. Quiñonez, uma mãe trabalhadora, mencionou que gostaria de ver os encargos dos pais de baixas rendas e as quantidades excessivas de tempo deles longe de seus filhos aliviados para as famílias com dificuldades.

Abordando três questões-chave no esforço para ajudar os imigrantes da cidade e trabalhadores na pobreza — ensinando-lhes inglês, ajudando-os no acesso a creches com preços razoáveis e no desenvolvimento da confiança nos prestadores de serviços, a CEO da UWWC, Kim Morgan, disse: “Se pudermos progredir nessas três áreas, estaremos em posição de ajudar as pessoas a encontrarem bons empregos em três anos a partir de agora”.

Em um comunicado, o prefeito de Danbury, Mark Boughton, expressou entusiasmo pela mobilização da concessão e elogios ao Fed e UWWC: “Esta concessão apoiará diretamente os residentes trabalhadores de Danbury, especialmente a comunidade imigrante”.

Você pode aprender mais sobre o Federal Reserve Bank of Boston e suas atividades e iniciativas visitando seu site em bostonfed.org; para saber mais sobre o CMI, visite a página do Working Cities Challenge no site do Boston Fed em bostonfed.org/workingcities.

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
February 24, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *