Danbury Seleciona Ventura Law para se Juntar ao Processo Contra Fabricantes de Opioides

View this post in other languages: English, Español

Noticia

Danbury Seleciona Ventura Law para se Juntar ao Processo Contra Fabricantes de Opioides

By Tribuna Staff

A Prefeitura de Danbury selecionou a firma Ventura Law para investigar e apresentar demandas em seu nome relacionadas à epidemia nacional de opioides. A Câmara Municipal dos Vereadores de Danbury concordou em contratar a Ventura Law em 6 de março de 2018. Em todo o país, mais de 200 governos locais se juntaram ao litígio de opioides, e esse número continua subindo quase todos os dias.

A Ventura Law fez parceria com o Branstetter, Stranch & Jennings, um escritório de advocacia com sede em Nashville, Tennessee. O Branstetter, Stranch & Jennings lidera a acusação contra os fabricantes de opioides e suas empresas relacionadas e já apresentou ação em nome de 14 advogados do distrito, cobrindo 47 condados.

“Na seleção de uma empresa local para representar os interesses exclusivos da cidade, Danbury mostrou grande liderança na proteção proativa de seus cidadãos”, disse o diretor presidente da Ventura Law, o advogado Augie J. Ribeiro.

As possíveis demandas que a Prefeitura de Danbury antecipa reividincar em sua ação judicial são que as empresas farmacêuticas se envolveram em marketing fraudulento e enganoso em relação aos riscos e benefícios dos opioides prescritos, o que contribuiu e alimentou a epidemia de opioides de Connecticut. Durante décadas, as empresas farmacêuticas fizeram um marketing agressivo aos prestadores de cuidados de saúde e asseguraram à comunidade médica que os pacientes não se tornariam dependentes de opioides prescritos, como a oxicodona, apesar de saberem que as drogas não eram seguras ou eficazes para uso prolongado e dor crônica.

“A cidade de Danbury, como muitas cidades em todo o país, enfrentou e continuará enfrentando custos maiores por causa desta epidemia de drogas. Estamos orgulhosos em ajudar a cidade a solicitar indenização contra essas poderosas empresas”, comentou o advogado Ribeiro, acrescentando: “Se ganharmos, a esperança é que os programas de educação e tratamento estarão disponíveis no futuro para proteger aqueles que são mais propensos a sofrer”.

Danbury prevê alegar que as empresas farmacêuticas violaram os estatutos de proteção ao consumidor de Connecticut e criaram uma perturbação da ordem pública ao divulgar declarações falsas e enganosas sobre os riscos e benefícios dos opioides. Este marketing falso incluiu anúncios em revistas médicas, declarações de representante de vendas e o uso de grupos médicos para fornecer informações que minimizavam os riscos e inflavam os benefícios dos opioides. Essa conduta proliferou a prescrição de opioides e provocou a epidemia que a cidade de Danbury e o estado de Connecticut enfrentam atualmente.

Trabalhando na pesquisa sobre os efeitos dos opioides por mais de um ano, o advogado Ribeiro visitou muitas comunidades devastadas pela epidemia. “Muitas famílias, e homens e mulheres trabalhadores, ficaram doentes e sofreram devido as falsas declarações de segurança e uso de opioides pelas empresas farmacêuticas. Esperamos mudar isso e conscientizar as pessoas sobre a natureza aditiva desses medicamentos, para que outros no futuro não sofram”.

“Enquanto continuamos a ver um aumento no abuso de opioides em todo o país e em nossa cidade, torna-se cada vez mais difícil encontrar os fundos necessários para o tratamento da dependência e o aumento dos custos da polícia e da saúde pública. Queremos encontrar uma maneira de avançar nisso, e para isso, precisamos de financiamento para alguns dos programas que simplesmente não temos fundos para oferecer no momento”, explicou o prefeito Mark Boughton.

 

Sobre a firma Ventura Law – Desde 1957, a Ventura Law tem trabalhado em nome dos consumidores. Atualmente, a empresa está envolvida em inúmeros processos judiciais em massa e complexos: contra o British Petroleum, perpetradora do pior desastre ambiental do mundo; contra a General Motors, fabricante de automóveis que fabricou — depois acobertou — um interruptor de ignição defeituoso que causou a morte de motoristas e feriu muito outros; e contra empresas farmacêuticas em diversas ações de responsabilidade de produto, incluindo Bayer, Johnson & Johnson, Boehringer Ingelheim, Pfizer e GlaxoSmithKline.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
March 21, 2018

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *