Um Contrato de Concessão Firmado, Mas Ainda Sem Orçamento

View this post in other languages: English, Español

Cover, Noticia, Política

Um Contrato de Concessão Firmado, Mas Ainda Sem Orçamento

By Paul Stern | CTMirror.org | Traduzido por: Fernanda Magrini Sinha

O mês em Connecticut começou com o drama político e um voto vigoroso sobre um pacote de concessões salariais e benéficas críticas para moldar o orçamento do estado de Connecticut — quando a legislatura pode finalmente adotar um.

Como é frequentemente o caso, no entanto, a política de Connecticut foi ultrapassada por eventos na Casa Branca, onde o presidente Donald Trump demitiu seu bombástico diretor de comunicação, Anthony Scaramucci, após apenas 10 dias de trabalho.

No Capitólio do estado, a vice-governadora, Nancy Wyman, proferiu o voto decisivo para aprovar o pacote de concessões, projetado para economizar $1,57 bilhões do estado nos próximos dois anos. O voto ganhou suas críticas dos republicanos como um “facilitador” das políticas do governador Dannel Malloy.

Os republicanos dizem que o acordo será autodestrutivo e colocará os democratas na posição de ter que aumentar impostos, cortar serviços e ajuda municipal ou ambos, a fim de cobrir o restante do déficit projetado de Connecticut de $5 bilhões. Três senadores democratas tiveram reservas e impediram a aprovação do acordo até receberem alguma garantia de que as mudanças estruturais do orçamento seriam futuras.

Passar um aumento de imposto de vendas parece ser a próxima grande questão.

Enquanto isso, não ter um orçamento continua a causar efeitos mais imediatos e dolorosos sobre aqueles que dependem de fundos estaduais, como as agências que prestam serviços aos necessitados. Os primeiros cortes entraram em vigor semana passada.

O próximo setor que o governador Dannel Malloy pretende economizar é com o gasto escolar. Ele advertiu que mudaria o auxílio de distritos mais afluentes para os mais pobres se ainda não houver um orçamento no momento em que distribuir a ajuda. Certamente, os distritos escolares mais pobres e minoritários do estado já têm desafios suficientes, já que os últimos resultados do SAT indicam que a maioria dos alunos do ensino médio não está lendo ou escrevendo o suficiente para começar a faculdade ou uma carreira.

De volta a Washington, D.C., a incapacidade do senado dos EUA de revogar ou substituir o Ato de Assistência Econômica não trouxe muito alívio para a troca de seguros de cuidados a saúde de Connecticut. Ainda haverá mudanças no sistema de saúde de Connecticut que afetam negativamente dezenas de milhares de residentes do estado. Meses de incerteza sobre a legislação de cuidados da saúde também dificultaram a troca do estado, Access Health CT, para registrar novos clientes.

Existe também uma incerteza quanto à lei tributária federal — especificamente devido à preocupação de que a reforma tributária republicana elimine a dedução de impostos estaduais e locais. Cerca de 718.000 contribuintes de Connecticut reivindicaram $13,6 bilhões em tais deduções em seus retornos de 2014, mostram os dados do IRS.

O programa Ação Diferida para Chegadas na Infância (DACA) — que o presidente Trump disse antes que não tocaria — também está sendo desafiado, desta vez por 10 procuradores-gerais estaduais. Cerca de 10.000 jovens imigrantes em Connecticut poderiam potencialmente perder seu status legal provisório.

Uma política de imigração recentemente proposta, aprovada pelo presidente, também está desagradando os negócios de Connecticut, uma vez que reduziria dramaticamente o número de imigrantes a cada ano.

Toda essa incerteza e turbulência é terreno fértil para os candidatos políticos de todos os partidos. Isso significa que as próximas eleições de meio período provavelmente serão divertidas para ambos os partidos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
August 9, 2017

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *