Taxas de Seguro de Saúde em CT Subirão Significativamente em 2017

View This Post In English, Espanol

Saúde

Taxas de Seguro de Saúde em CT Subirão Significativamente em 2017

By Keith M. Phaneuf e Arielle Levin Becker

A maioria dos planos de saúde de Connecticut vendidos através dos mercados individuais e pequenos grupo terão suas taxas aumentadas no próximo ano, embora em alguns casos, os preços não subirão tanto como as operadoras pretendiam.

O Departamento de Seguros do Estado aprovou o aumento em 13 taxas dos planos de saúde em 2 de setembro, aumentos que ultrapassaram em muito os dos últimos anos, com média de quase 25% para os indivíduos e 13% para grupos pequenos.

O Departamento também rejeitou três pedidos para os principais aumentos da taxa — dois do Anthem Health Plans e um do ConnectiCare Insurance Co. — direcionando as operadoras a recalcularem as taxas finais.

Quase todas as taxas para outros planos aumentarão em percentuais de dois dígitos, incluindo aumentos que variam de 15 a 24% para os seguros do ConnectiCare vendidos através do Access Health CT, o mercado de intercâmbio de seguro de saúde do estado. Essas apólices sozinhas cobrem atualmente 47.597 pessoas.

As decisões envolvem um total de 17 taxas de 12 empresas que vendem planos individuais e para pequenos grupos e que juntas cobrem aproximadamente 300.000 pessoas em Connecticut.

O departamento de seguros citou vários fatores para o aumento acentuado nas taxas, que ultrapassará os permitidos nos últimos anos. Esses fatores incluem a inflação médica, a validade dos pagamentos de estabilizações federais feitos para as seguradoras ao longo dos últimos três anos, como parte da Lei de Proteção e Cuidado ao Paciente (ACA na sigla em inglês), e as despesas médicas mais elevadas do que as esperadas entre os clientes.

“O Departamento realizou exaustivas revisões atuariais em cada solicitação de taxa e, como nos anos passados, conseguiu reduzir alguns dos aumentos propostos”, disse a comissária do Departamento de Seguros, Katharine L. Wade. “No entanto, o mercado de Connecticut está experimentando o que os outros estados têm visto este ano — o aumento dos custos com cuidados da saúde, o aumento da demanda por serviços e custos significativamente mais elevados de medicamentos prescritos. Portanto, em alguns casos, as taxas mais elevadas foram atuarialmente justificadas”.

Wade acrescentou que “Sob o ACA mais pessoas têm coberturas e mais pessoas estão usando o seu seguro. Esse aumento de demanda por serviços, a caducidade do programa federal de resseguro e a volatilidade no programa de ajustamento de risco da ACA tiveram um grande impacto sobre as taxas do próximo ano”.

O substancial aumento das taxas que as seguradoras estabeleceram em todo o país têm contribuído para o aumento das dúvidas sobre o futuro do Obamacare e crítica a lei da saúde. O período aberto de inscrições para as pessoas comprarem os planos para 2017 começa antes da eleição de novembro, e os oponentes da lei intensificaram as críticas com relação ao seu impacto.

O departamento aprovou um aumento de 48,1% para a ConnectiCare para uma política individual vendida fora do mercado de intercâmbio, mas ele serve um número relativamente pequeno de pessoas — apenas 435.

Wade considerou dois pedidos das taxas do Anthem Health Plans e um do ConnectiCare Insurance Company excessivos.

  • Anthem fez uma proposta de aumento de 26,8% sobre as apólices individuais que afetam 56.700 pessoas e vendidas no mercado de intercâmbio de seguro de saúde do estado.
  • Anthem fez uma proposta de aumento de 11,6% sobre as apólices de pequenos grupos que afetam 42.000 pessoas e são vendidas no mercado de intercâmbio.
  • E o ConnectiCare fez uma proposta de aumento de 43,3% sobre apólices individuais que afetam 37.142 pessoas e são vendidas fora do mercado de intercâmbio.

De acordo com registros departamentais, o pedido de aumento das taxas da Anthem superestima as tendências da inflação médica e não reflete suficientemente o benefício de receber $25 milhões de pagamentos de ajuste de risco federal. O departamento também questionou a correção de preços da Anthem, que foi concebida para antecipar os custos prováveis da empresa em 2017 com base nas tendências de 2016.

Quando o pedido da ConnectiCare foi rejeitado, o departamento escreveu em seu arquivo que, embora esta empresa tenha pago $26 milhões para o programa de ajuste de risco federal, ela sobreavaliou o impacto que isso deveria ter sobre as taxas.

“Estamos atualmente revendo a decisão do departamento”, escreveu Anthem em um comunicado.

“ConnectiCare ainda está estudando a decisão do Departamento de Seguros de Connecticut sobre nossos pedidos recentes de taxas e avaliando quais serão nossos próximos passos”, escreveu ConnectiCare.

Os aumentos de tarifas aprovados afetarão mais de 63.800 pessoas cujas apólices são vendidas no mercado de intercâmbio do estado, incluindo 47.597 em apólices individuais e 16.274 nas apólices de grupos pequenos. Muitas das pessoas que compram no mercado de intercâmbio, porém, receberão subsídios do governo e, portanto, não pagarão o preço total.

Os aumentos aprovados também afetam as apólices individuais vendidas fora do mercado de intercâmbio, servindo 8.605 pessoas, e as apólices de pequenos grupos fora do mercado que servem 111.102 pessoas.

“Entendemos que estas taxas terão um impacto sobre os consumidores e seus orçamentos domésticos e precisamos continuar a procurar formas de lidar com os custos, com foco na qualidade e no acesso”, disse Wade. “Vemos isso como uma oportunidade para examinar os benefícios do projeto e incentivar a utilização de redes que obterão economias de custos. Os consumidores precisam de escolhas — escolhas abundantes — de planos compatíveis com a ACA. O Departamento continuará trabalhando com o gabinete do governador, nossos parceiros federais, Access Health CT, operadoras, advogados e outros para garantir que os consumidores tenham acesso a cuidados de saúde de qualidade e mais opções de planos”.

O escritório do governador Dannel P. Malloy divulgou uma carta que ele escreveu a secretária do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Sylvia Mathews Burwell, pedindo “medidas suplementares a nível federal para estabilizar as taxas (seguros de saúde). Falhar ao agir é falhar com os consumidores de Connecticut e do país”.

Embora os aumentos de tarifas aprovados pelo departamento de seguro do estado sejam “atuarialmente justificados”, escreveu Malloy, eles foram conduzidos pelo fim da ajuda federal crucial juntamente com o acentuado aumento dos custos de saúde.

O líder da Minoria do Senado, Len Fasano, R-North Haven, e o senador Kevin Kelly de Stratford, republicano de grande prestígio na legislatura da Comissão de Seguros e Imobiliária, elogiaram o departamento por rejeitar alguns aumentos das tarifas, mas expressou preocupação sobre o aumento global significativo.

“Eu não posso ignorar que a maioria das taxas estejam subindo em uma média de quase 25% para os planos individuais e quase 13% para os planos de pequenos grupos”, disse Kelly. “Isto é significativamente mais do que vimos no ano passado e esses aumentos de tarifas serão, sem dúvida, um duro golpe para muitas famílias”.

“É inegável que alguns desses grandes aumentos nas taxas de seguro farão com que muitas famílias de baixa renda percam o seguro, porque elas simplesmente não podem pagar por ele”, disse Fasano. “Para adicionar insulto à injúria, eles serão atingidos por uma penalidade do governo federal porque não têm a renda necessária para adquirir um plano. Precisamos agir agora para buscar formas de reduzir as taxas”.

As aprovações também geraram fortes críticas por parte do Grupo Connecticut Citizens Action.

“Seria preciso um lobista corporativo para tentar transformar uma média de 25% (24,8 por cento) do aumento das taxas aprovado no mercado individual como uma decisão pró-consumidor”, disse o diretor executivo da CCAG, Tom Swan. “Ao destacar sua negação de pedidos de duas empresas e, ao utilizar uma média de três anos, a comissária Wade tentou mascarar a aprovação do maior aumento da taxa na história de Connecticut. Sua lógica pode ser vista como se ela ainda estivesse oficialmente fazendo lobby para a indústria”.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
September 13, 2016

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *