A História de ABEL TORRES

Clique nesse post English, Espanol

Série Sonho Americano

A História de ABEL TORRES

By Maria Danniella Gutiérrez- Salem

O que define nossa nacionalidade? Onde nascemos ou onde crescemos? Para alguns, A definição jurídica é onde nascemos, mas, sentimentalmente, é onde crescemos. No entanto, o nosso entrevistado hoje é a prova viva da convergência destas duas definições. Abel Torres explica: “Mesmo tendo nascido nos EUA, quando tinha um mês de idade, meus pais se mudaram para a República Dominicana, porque essa era sua terra natal. Desde que comecei a entender que era americano, sempre senti uma ligação especial com os EUA. Embora eu estivesse feliz na República Dominicana, depois de terminar o colegial, senti a necessidade de viver neste país. Temos família aqui em Danbury, por isso, escolhi esta cidade, onde me sinto muito confortável. Devo dizer também que desde a minha chegada, há dois anos, entendi por que minha mãe sempre me disse que quando temos família, trabalho e educação, temos tudo que precisamos para ser feliz”.

Parece que você realmente admira sua mãe. Ele respondeu: “Seria impossível não admirar uma mulher que, quando era muito jovem, tornou-se viúva com três filhos, que criou sozinha. Minha mãe é um desses seres humanos raros que não param por nada, alguém que não tem medo de problemas. Para ela, nada é impossível. Existem pessoas que dão tudo e pessoas que preferem reclamar. Então, quando decidi vir, sabia que ela não estaria aqui para me ajudar, mas percebi que com os valores que ela me ensinou e sendo um lutador como ela, poderia alcançar meu objetivo: ser um dia um empresário de renome. Quero que a minha mãe sinta que valeu a pena deixar de lado sua própria vida e nos dar tudo, porque foi isso que ela sempre fez”.

Você trabalha? Ele respondeu orgulhosamente: “Aos dezenove anos, talvez eu seja o gerente mais jovem no meu trabalho, sempre recebo os parabéns dos meus superiores. Isso é outra coisa que aprendi com minha mãe: se alguém não se importa em se destacar no trabalho, então, não se importa em se sobressair na vida. Todos os trabalhos são absolutamente importantes. Temos a responsabilidade de fazê-los bem, porque se fizemos errado, é melhor não fazer. O dia em que todos nós nos interessarmos em cozinhar, limpar, falar, costurar e estudar da melhor maneira possível, nesse dia desfrutaremos de serviços de alta qualidade. Devemos sempre fazer o nosso melhor, porque temos de dar o que desejamos receber. Se formos medíocres, nos cercaremos de mediocridade”.

Você gosta de estudar? Firmemente, ele respondeu: “Eu sempre ouço as pessoas dizerem coisas como ‘esse cara não fez faculdade e ainda assim é um bilionário’, mas a realidade é que há mais bilionários universitários do que aqueles que não estudaram. Estudar, na minha opinião, nos ajuda a ter sucesso na vida, por muitas razões. Na faculdade, aprendemos a organizar nosso tempo, completar tarefas, nos relacionarmos com outros estudantes que também aprendem e, finalmente, entender que nem todo conhecimento pode ser obtido em quatro anos, mas é o início de uma aventura em nossa aprendizagem profissional. Além disso, o sucesso na vida não é só ganhar dinheiro, mas ter uma boa formação. Eu quero ser reconhecido como um ser humano e não por uma conta bancária”.

Qual seria a sua mensagem final? “Não invente desculpas para [falta de] sucesso. Devemos trabalhar para tudo que quisermos realizar, e o melhor momento para fazer isso é quando ainda somos jovens”.
Daniella Maria Gutiérrez-Salem praticou lei na Venezuela antes de ir atrás de seu próprio sonho americano e se tornar uma escritora nos Estados Unidos. mdgutier@gmail.com.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedIn
September 22, 2016

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *